Rio

Chuva leva prefeito do Rio a decretar situação de emergência

Avenida Brasil | Foto: Reprodução

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, decretou situação de emergência no município devido aos danos e impactos provocados pelas chuvas. A decisão foi publicada em edição extra do Diário Oficial, na tarde deste domingo (14). Subiu para nove o número de mortos por causa da chuva que atingiu a região metropolitana neste sábado (13), informaram a Secretaria de Estado de Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros Militar do Estado.

Em Ricardo de Albuquerque, um homem foi vítima de desabamento provocado por um deslizamento de terra, na madrugada deste domingo (14), na Rua Moraes Pinheiro. Em Acari, uma mulher foi encontrada morta na Rua Matura, possivelmente vítima de afogamento. Em Comendador Soares, próximo à Passarela da Rua Bernardino de Melo, outra vítima masculina adulta foi resgatada sem vida pelos militares, com sinais de afogamento.

 

Em Nova Iguaçu, uma mulher foi resgatada morta em um rio próximo à Rua General Rondon e um homem também morreu por afogamento na Rua Patrícia Cristina, em Vila São Luís. Em São João de Meriti, um homem foi vítima de descarga elétrica na Rua Neuza e outro de afogamento na Rua Pinto Duarte. Também houve confirmação de óbito de um homem na Rua Parecis, em Belford Roxo. Em Duque de Caxias, um homem foi vítima de descarga elétrica na Rua Marquês de Paranaguá.

O Corpo de Bombeiros segue nas buscas por uma vítima feminina adulta que teria desaparecido após a queda de um veículo no Rio Botas, na altura da Rua Doze, no bairro Andrade Araújo, na noite de sábado (13).

A corporação já atendeu mais de 200 ocorrências relacionadas às chuvas, nas últimas 24 horas, em todo o território fluminense, relacionadas a resgate de pessoas, inundações, alagamentos, cortes de árvores, desabamentos e deslizamentos.

Niterói | Niterói segue em estágio de alerta máximo desde às 2h15 deste domingo devido à previsão de chuvas moderadas a fortes. Na noite de sábado, a cidade atingiu o maior registro de chuva em uma hora desde que a medição é feita pelo município. O temporal chegou a 120,2 milímetros no período de uma hora, o que representa mais de 80% do volume esperado para todo o mês de janeiro. A Defesa Civil da Prefeitura de Niterói foi acionada até o momento para 14 ocorrências de deslizamentos. Não há registro de mortes nem de feridos graves. No momento, há 21 pessoas desabrigadas e 43 desalojadas. Todas estão sendo atendidas por equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Há registros de deslizamentos de encosta e de desabamento de casas nas regiões do Boa Vista, Bonfim, Cavalão, São Francisco e Morro da Penha. Desde a noite de sábado foram acionadas oito sirenes: as do Morro do Estado, Morro da Penha, Boa Vista, Jurujuba, Cavalão, Preventório, Travessa Beltrão e Morro do Palácio. Moradores dessas áreas foram orientados a se deslocarem para pontos de apoio com ajuda de voluntários e lideranças dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs).

Ainda foram registrados 12 casos de queda de árvores, todas atendidas pelo Corpo de Bombeiros e por equipes da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (Seconser).

“O maior registro de chuva em Niterói até este fim de semana era de 86 milímetros em uma hora, em fevereiro do ano passado. Neste sábado o volume foi de mais de 120 milímetros em uma hora. Foi muita água em pouco tempo, com mais de 80% do volume esperado para todo o mês de janeiro. Mas os investimentos em contenção de encostas nos últimos anos na cidade amenizaram muito os impactos. Com certeza, essas intervenções salvaram vidas”, afirma o coronel Walace Medeiros, secretário municipal de Defesa Civil e Geotecnia.

Numa escala comparativa, os municípios brasileiros adotam as seguintes medidas: chuva fraca, abaixo de 5,0 mm/h; chuva moderada, entre 5,0 e 25 mm/h; chuva forte, entre 25,1 e 50 mm/h; e chuva muito forte, acima de 50,0 mm/h.

Força-tarefa nas ruas – Neste domingo (14), uma força-tarefa com funcionários da Companhia de Limpeza Urbana de Niterói (Clin) e da Seconser está nas ruas da cidade para mitigar os efeitos do temporal. Da Clin, são 500 agentes realizando serviços como varrição, retirada de lama, galhos e entulhos e lavagem, com o apoio de 70 equipamentos. Mais de 100 toneladas de resíduos já foram recolhidos. Já a Seconser atua com 100 funcionários para poda e desobstrução de ralos. Equipes da NitTrans também participam dando apoio às ações.

O Centro de Niterói e as regiões Norte, Sul e das praias da Baía foram as mais atingidas pela chuva que caiu sobre a cidade na noite de sábado e madrugada de domingo. Houve alagamentos em pontos da cidade, entre eles a Avenida Roberto Silveira, com transtornos para o trânsito.

As equipes técnicas da Defesa Civil permanecem mobilizadas e realizando vistorias nos locais em que há sinalização de risco.

A previsão meteorológica indica a continuidade da instabilidade, podendo ocorrer volumes moderados a fortes de chuva durante todo o domingo. A orientação da Prefeitura de Niterói é de que as pessoas sigam atentas aos alertas da Defesa Civil através das mídias sociais, SMS 40199, grupos de WhatsApp e pelo aplicativo ALERTA DCNIT. Em caso de emergência, devem acionar a Defesa Civil através dos telefones 199 ou 2620-0199.

To Top