Por que não temos tempo?

Uma das grandes questões do nosso cotidiano é a falta de tempo. Falta tempo para ficar com a família, falta tempo para fazer atividade física, falta tempo para viajar, falta tempo para fazer os exames, falta tempo para dormir, falta tempo para ir ao cinema, falta tempo até para ir a psicóloga. E onde foi parar esse tempo? Passa-se muito tempo no trabalho, muito tempo no trânsito, muito tempo na fila do banco, na fila do supermercado, muito tempo mexendo no celular, muito tempo nas redes sociais, muito tempo estudando, muito tempo resolvendo problemas, muito tempo.

A cada dia escolhemos como iremos dividir as horas que temos. São oito horas dormindo (um luxo para muitos), duas horas comendo, duas ou três horas no trânsito, uma hora no supermercado, nove horas no trabalho, e quase não sobra nada para o lazer. Ah, mas temos o final de semana! Para quem não trabalha sábado e/ou domingo. E mesmo para os que podem ficar em casa, quantas coisas se acumularam durante a semana, não é mesmo? Precisa arrumar a casa, ver a lição das crianças, comprar o que está faltando, lavar o carro, cuidar dos animais de estimação, levar o filho na festa da colega, e depois buscar, fazer as unhas, cortar o cabelo, e se der, visitar a família que há tempos você não vê. Ah, e ainda preparar tudo para a próxima semana que irá começar.

Deu até cansaço só de pensar! Aí você diz: É assim mesmo, mas o que eu posso fazer? Poucas mas significativas mudanças. A primeira e mais importante delas é priorizar a sua saúde. Já pensou em acordar uma hora mais cedo e fazer uma atividade física? Precisa dormir? Então que tal uma hora depois do trabalho? Se pensar bem, talvez o trânsito terá até diminuído. Há quanto tempo não faz os exames de rotina e prevenção? Já pensou que serão apenas um ou dois dias no ano, que você vai precisar chegar mais tarde no trabalho ou em casa? Se você adoecer ou demorar para tratar a doença, você perderá muito mais tempo. E se, ainda, você sente que está com uma sobrecarga, estresse, muita ansiedade, sente angústia, nervosismo, e nada disso está melhorando com o tempo, mas não tem hora para procurar ajuda psicológica, saiba que isto também pode te deixar doente, e mais uma vez você poderá perder mais tempo do que apenas uma hora por semana.

Outra mudança necessária: encontre algumas horas durante a semana para o lazer. Mesmo que seja em apenas um dia. Pode ser para ir ao shopping, jogar futebol, ir à praia, jogar videogame, ler um livro, assistir um filme, comer em um lugar diferente. Qualquer coisa que você goste, que lhe dê prazer e ajude a relaxar. Sim, isso faz parte do cuidado com a saúde física e mental. E passe um tempo com as pessoas que você gosta. Converse, ria, divirta-se, compartilhe. Todas as atividades que trazem satisfação estimulam o cérebro, a produção de hormônios que geram bem-estar e provocam diversos outros benefícios.

A lição é, basicamente, priorize o seu tempo com você. Com todas as atribulações do dia-dia, é comum “esquecermos” desses cuidados, deixá-los para depois, para o dia que sobrar tempo. Só que o tempo nunca sobra. Estamos sempre ocupando cada minuto com aquilo que precisamos ou queremos, ou acreditamos que devemos fazer. Mas sempre é tempo de parar. Parar, pensar e rever a forma como estamos vivendo. O que estamos fazendo desse tesouro que é a vida e o tempo que ela nos dá. E aí, o que você pode fazer por você?

Até semana que vem!

Por: Ana Claudia Marques

Psicóloga

Facebook: facebook.com/psianaclaudiamarques

Instagram: @psianaclaudiamarques

E-mail: acmarques.psi@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *