Previsão do Tempo

Onda de calor: Inmet emite novo alerta que inclui Niterói

img 5666

Prainha de Piratininga | Arquivo

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um novo alerta de onda de calor por conta das temperaturas acima da média em boa parte do país. Dessa vez, de menor intensidade (perigo potencial), o aviso inclui mais áreas do estado do Rio de Janeiro, inclusive a capital e Niterói, com validade até as 19h do próximo domingo (17). A onda de calor consiste em uma alta de até 5°C na temperatura média do período por vários dias.

Nesta sexta-feira (15) o Centro de Monitoramento e Operações da Defesa Civil de Niterói emitiu uma nota informando que entre esta sexta-feira (15/12) e a segunda-feira (18/12), um sistema de alta pressão permanecerá influenciando as condições do tempo na cidade de Niterói e o calor continuará. A previsão é de céu claro a parcialmente nublado, sem chuva, temperaturas elevadas e os ventos serão  fracos a moderados.

A meteorologista do Inmet Naiane Araújo indica um conjunto de fatores responsáveis pelo fenômeno climático caracterizado pelo aumento anormal das temperaturas por um certo período.

“Nos próximos dias, a chance de chuva já começa a diminuir novamente, principalmente a partir desta quinta-feira, devido a uma massa de ar mais quente e seco, que vai quebrar esse canal de umidade, justamente nesta época do ano, quando nos aproximamos do verão, que é uma época mais quente do ano. Conforme a gente tem o céu aberto, mais ensolarado, com a ausência de nuvens e de chuva, as temperaturas disparam mesmo”, explicou.




A meteorologista disse que o fenômeno natural El Niño (aquecimento das águas do Oceano Pacífico) é um motivo a mais para aumentar os termômetros, mas não é o único. “O El Niño é um agravante. A gente teve a configuração do fenômeno ao longo dessa primavera e, durante o verão, deve persistir. Quando se configura um El Niño, o fenômeno bagunça o regime de chuva na área central do Brasil e tem um impacto muito claro nessa elevação das temperaturas também. Ele é um combustível a mais, sem dúvida alguma”.

Com Agência Brasil e Inmet
To Top