Geral

Mão de Obra formada por maquiadora da Viradouro conquista mercado além dos limites da Sapucaí

Divulgação

Moradora do Bumba teve sua vida mudada pelas técnicas aprendidas para o Carnaval e alunos franceses chegam este mês para aprender com a “mestra brasileira”

A trancista Natália Soares é moradora do Morro do Bumba, em Niterói, lugar que ficou famoso por conta de uma tragédia. Mas Natália e sua família tiveram um rumo diferente em suas vidas. Ela é um dos cerca de 140 profissionais que, no Carnaval e pré-carnaval, emprestam seu talento para maquiar os componentes de várias alas e dar vida às personagens criadas pelo carnavalesco Tarcísio Zanon. Natália foi selecionada para a Viradouro quando integrava uma das turmas do curso de maquiagem artística do Senac RJ, ministrado pela maquiadora da escola, Christina Gall, mestra nas técnicas especiais para os desfiles na Marquês da Sapucaí. Muitos desses novos profissionais, hoje, levam a profissão que desenvolveram e aprimoraram durante o carnaval para o seu dia a dia fora da passarela do samba. Amanhã dia 3, novos alunos participam de treinamento no Senac de Copacabana, num esquenta tamborins, e nos dia 16 e 17, Gall dará curso especial para maquiadores franceses que farão parte de sua equipe na Sapucaí.

Divulgação

Aliás, a relação da maquiadora Christina Gall com os franceses vem desde a sua chegada a Unidos do Viradouro, pois ela desembarcou para fazer o carnaval da escola com uma equipe, em sua maioria, francesa, pois eram poucos os profissionais brasileiros especializados em maquiagem artística. Hoje, Christina já arregimenta esses profissionais nos cursos que promove em parceria com o Senac RJ os quais acabam adotando a maquiagem e as técnicas de caracterização aprendidas, que incluem também cabelos, como ganha-pão do seu dia a dia. Ela faz a magia da criação e da técnica supervisionando as equipes que entram em cena tanto na maquiagem quanto nas tranças e dreds.

“Quando trabalhei com os franceses, em 2018, e ganhamos o campeonato, fiquei hiper feliz, mas ao mesmo tempo, muito preocupada porque não encontrava no mercado brasileiro profissionais especializados em maquiagem artística que fizessem frente ao enredo proposto por Paulo Barros para o ano seguinte, 2019. Maquiagem de carnaval exige especialização no uso de próteses e de outros materiais que garantem que os componentes das várias alas de uma escola de samba passem pela Avenida e cheguem à dispersão intactos, independente do suor, do calor ou da chuva”, explica Gall.

Para “solucionar o problema”, a maquiadora buscou ajuda e conseguiu a parceria com o Senac RJ. “Eu ensino as técnicas que domino para os alunos e, em contrapartida, os uso como estagiários na minha equipe da escola de samba”. A Equipe de Maquiagem Artística da Viradouro é formada, há cinco anos, por Christina Gall, responsável pela Maquiagem, Criação, Coordenação da Escola e Comissão de Frente, auxiliada pelos coordenadores Diogo Lisboa, Silvana Maurente e por três alunos do Senac RJ que a acompanham desde o início da parceria.

A solução deu tão certo que, atualmente, vários alunos continuam a bater ponto na vermelho e branco de Niterói, mas, depois da Quarta-feira de Cinzas e até o próximo carnaval, eles aplicam as técnicas que dominam para ganhar a vida. “Muitos deles estão hoje preparando elenco em peças de teatro, shows musicais e onde mais puderem exercer a arte da maquiagem de efeito”, testemunha Christina Gall.

Divulgação

Entre os “novos profissionais especializados” existem histórias lindas como a da trancista Natália Soares, que começou na turma de 2019 do Senac RJ, e faz parte da equipe até hoje. Além-carnaval, ela ganha a vida maquiando no salão de propriedade do marido.

“A maquiagem veio para a minha vida depois da decepção pela falta de grana para pagar minha faculdade. Descobri que as parcelas iriam aumentando, de seis em seis meses, e eu, a primeira filha de quatro irmãos a chegar na universidade, me frustrei. Decidida, peguei meu celular e procurei cursos técnicos em Niterói. O primeiro que apareceu foi o curso de maquiagem no Senac, que terminava no dia do meu aniversário. Eu disse: vou ser maquiadora. Eu conquistei minha independência e não tem coisa mais importante que isso, além de conseguir elevar a autoestima das pessoas,” explica Natália.

Ela diz que poder ajudar a dar vida a personagens no Carnaval é, ao mesmo tempo, mágico e desesperador. Ela lembra que o primeiro encontro com Christina Gall foi no workshop de Carnaval que ela ministrou no Senac de Copacabana. No primeiro Carnaval de que participou, maquiou as alas e, no segundo, já passou para a comissão de frente. Ela pediu para Gall uma oportunidade e disse que, além de maquiadora, queria mostrar seu trabalho como trancista. Assim, teve a oportunidade de fazer o cabelo da sereia que foi sucesso no Carnaval daquele ano.

“Isso foi um divisor de águas na minha carreira! Pessoas da comunidade, onde nasci e fui criada, me parabenizando, batendo palmas, foi emocionante! Além disso, foi tudo ver nos olhos dos meus pais o orgulho que estavam sentindo de mim. É uma mistura de sensações. O Carnaval e a Chris fazem a gente pensar e sair fora da caixa. Fala sério, em qual outro espetáculo, além da TV e do cinema, você iria ver uma sereia em um aquário, entre outros personagens, tão bem caracterizados? Eu amo fazer isso e, depois do Carnaval, volto para o dia a dia da maquiagem, mas foi ali que comecei e sou muito grata. Christina abriu caminhos e eu agarrei com unhas e dentes! Cada vez que termino um trabalho, eu me emociono e passa um filme de tudo que já vivi. Ter essas oportunidades mudou tudo em minha vida,” completa.

Ela lembra que, logo depois do Carnaval, veio a pandemia da Covid-19 e momentos difíceis. Recebeu, então, outro convite da Chris para participar do projeto ‘Presente Distópico’, fazendo os cabelos, uma oportunidade de trabalhar com grandes nomes como Suzana Quintanilha, Aline Ciafrino e Renata Xavier. Em 2023, mais uma vez, ela terá a oportunidade de trabalhar na comissão de frente da Viradouro, fazendo os cabelos e maquiando.

Outra ex-aluna do Senac RJ que também levou a maquiagem da Avenida para a vida foi Karen Kim, que adotou até nome artístico.

“Sou técnica em Estética e Maquiadora pelo Senac e hoje em dia trabalho como autônoma nas duas áreas. Comecei na maquiagem em 2018 e meu primeiro grande trabalho foi no Carnaval de 2019, junto com a Christina Gall, na Viradouro. Isso foi um ponto de virada na minha vida, quando eu decidi o que queria realmente seguir. Saí do meu emprego de vendedora em loja e parti para trabalhar tempo integral na área da beleza. O Carnaval mudou minha vida,” conta.

Segundo Christina Gall, essa nova expertise da equipe, que hoje soma cerca de 140 profissionais, tem permitido à Viradouro desfilar alas inteiras, cerca de 1.700 integrantes, com a mesma qualidade de maquiagem usada na Comissão de Frente.

“Este ano, vamos colorir a Sapucaí com personagens de folguedos populares como Folia de Reis e a Festa do Divino. E como efeito especial adianto um segredo: a Viradouro este ano desfila com os componentes de uma ala inteira usando lentes de contato. Isso só é possível graças à equipe de profissionais especializados formados para atender o carnaval da escola”, garante.

Gláucia Pandoro, mais uma aluna, tem 31 anos e é moradora de São Gonçalo. Ela é Maquiadora, Instrutora e CEO da marca Pandoro Beauty.

“Sempre amei maquiagem, Para conseguir fazer meu primeiro curso eu trabalhei na empresa da minha vizinha, fazendo doces personalizados. Consegui chegar até o curso do Senac com a ajuda do meu noivo que pagou, trabalhando recolhendo lixo dos lojistas em um shopping de Niterói. Com o curso, a porta do Carnaval se abriu e eu consegui entrar para esse mundo. Sempre quis trabalhar com o Carnaval e na Unidos da Viradouro, que é a minha escola do coração,” lembra Pandora que hoje vive 100% da maquiagem.

“É incrível poder atuar no Carnaval como maquiadora ainda mais com a Chris como mentora e chefe de equipe. Com ela, eu adquiri muito conhecimento não só de maquiagem, mas também, de como ser uma pessoa melhor. Nosso primeiro encontro foi em uma palestra para recrutamento de alunos e ex-alunos do Senac para trabalhar no Carnaval. Eu mal podia acreditar que estava tendo acesso a técnicas que só conhecia pela TV e, mesmo assim, só vendo o trabalho já pronto. Hoje, poder estar na equipe da Chris é uma realização muito grande. Nossos encontros são recheados de muitos ensinamentos, muito trabalho” reforça Gláucia.

Último workshop antes da Sapucaí 2023

No Carnaval 2023, cerca de 200 alunos, ex-alunos e instrutores do curso de Maquiador do Senac-RJ irão atuar no desfile da Viradouro, na segunda-feira, 20 de fevereiro. E, se deus quiser, retornam no sábado da semana seguinte para o Desfile das Campeãs. O grupo ficará responsável juntamente com a Equipe de Maquiagem Artística da escola, pelo make-up de aproximadamente 900 integrantes. Essa “prática carnavalesca” funciona como laboratório para os alunos, permitindo a vivência profissional em um dos maiores eventos do planeta.

No próximo dia 3, a partir das 9h, acontece no Sesc Copacabana (Rua Domingos Ferreira, 160) o último workshop de Christina Gall antes do Carnaval 2023. Em janeiro, no mesmo local, aconteceu um verdadeiro “show de maquiagem artística” com a presença do carnavalesco da Unidos do Viradouro, Tarcísio Zanon, e do diretor Cênico e Coreográfico, Marcio Moura. Como não podia deixar de ser, o encontro acabou em samba com ritmistas da bateria da escola.

To Top