Política

Prefeito de Niterói assina ordem de início das obras de renaturalização da bacia do Rio Jacaré

Objetivo das intervenções é recuperar o ecossistema do rio e melhorar o saneamento das comunidades do entorno

O prefeito de Niterói, Axel Grael, assinou nesta quinta-feira (19) a ordem de início das obras de renaturalização da bacia Rio Jacaré, na Região Oceânica. O objetivo do projeto, financiado pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), é recuperar o ecossistema do rio, da sua Área de Preservação Permanente (APP), promover melhorias no saneamento das comunidades do entorno e a garantir soluções de drenagem sustentáveis para a Estrada Frei Orlando.

“Este é um projeto inovador. E ele é inovador porque não é apenas um projeto de engenharia. Ele tem por trás todo um conhecimento científico que atesta que as medidas que nós vamos tomar aqui serão efetivas e vão ajudar o Rio Jacaré. Há uma série de entendimentos que foram feitos pela equipe do PRO Sustentável. Fomos de rua em rua conversando com os moradores e entendendo as necessidades. Quando falamos em renaturalizar o rio não é só o rio. É olhar a bacia como um todo, olhar para a falta de saneamento que existia, melhorar a vida do cidadão. Isso tudo faz parte da recuperação de um rio”, afirmou o prefeito.

Nesta fase do projeto será feita a recuperação do Rio Jacaré e suas nascentes, além da construção de praças. O saneamento das comunidades Vale Verde, Cabrito e Coqueiro já foi feito e, futuramente, serão licitados sistemas alternativos de esgotamento sanitário para a população que está abaixo da Estrada Frei Orlando. Também já foram implantados um módulo do Médico de Família (prédio com arquitetura sustentável) e um Centro de Referência de Sustentabilidade Urbana (CERSU), em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF).

“Este é um projeto pioneiro no Brasil. Sua concepção foi acompanhada por um grupo de pesquisadores da UFF, que elaborou o diagnóstico da bacia, indicando os principais desafios a serem superados para a renaturalização do rio. Também foi realizado um workshop internacional, com a participação de especialistas dos Estados Unidos, Portugal e Espanha”, detalhou a coordenadora do programa PRO Sustentável, Dionê Castro.

O projeto

O Rio Jacaré tem cerca de 5,9 km de extensão e é o maior contribuinte da Lagoa de Piratininga, drenando uma bacia de aproximadamente 6 km². Cerca de 7 mil pessoas vivem na região e serão beneficiadas com as intervenções.

O foco central deste projeto é a recuperação dos indicadores ecológicos da bacia hidrográfica, com a recuperação de nascentes e olhos d’água, revegetação com espécies nativas, recuperação do leito do rio e implantação de bacias de detenção e biorretenção, além da implantação de áreas de lazer com paisagismo para aproximação da população ao rio.

Como o objetivo do projeto é a renaturalização da bacia hidrográfica urbana e não apenas do Rio Jacaré, a abrangência do trabalho se estende a toda a área da bacia, o que exigiu a implantação de obras de requalificação urbana e ambiental com o saneamento das três favelas existentes na bacia hidrográfica (Vale Verde, Cabrito, Saibreira) juntamente com ações de educação ambiental e sanitária.

Um dos resultados desta escuta à população local foi a implantação do prédio do Programa Médico de Família, que vai privilegiar tecnologias verdes (drenagem, iluminação e ventilação naturais, aproveitamento de águas pluviais e energia solar) e a instalação de estrutura anexa para as Práticas Integrativas e Complementares à Saúde (cultivo de espécies medicinais e produção de remédios fitoterápicos).

A proposta é que o Jacaré possa ser considerado um bairro ambientalmente sustentável. Neste momento, está sendo elaborado, juntamente com a Companhia de Limpeza de Niterói (Clin), o projeto de gestão de resíduos sólidos domésticos com separação de resíduos na origem objetivando a reciclagem.

Também estiveram presentes à cerimônia de assinatura os secretários de Obras, Vicente Temperini; do Clima, Luciano Paez; de Participação Social, Anderson Pipico; da Regional Oceânica, Binho Guimarães; e o presidente da Federação das Associações de Moradores de Niterói (Famnit), Manuel Amâncio.

To Top