Aconteceu

Paciente com quadro raro de gestação múltipla dá à luz em Niterói

Hospital Icaraí

Os nascimentos múltiplos sempre chamam a atenção e geralmente há um grande fascínio sobre o conceito de mais de um bebê nascer ao mesmo tempo. A forma mais comum de gestação múltiplas são os gêmeos. Estatisticamente, 90% de todos os nascimentos múltiplos são de gêmeos e os 10% restantes são compartilhados entre trigêmeos, quadrigêmeos e mais.

Desde o dia 15 de novembro, a paciente Pamela Senna está internada na Maternidade do Hospital Icaraí em virtude de um quadro de gestação múltipla. Pamela veio transferida de Macaé onde reside com queixa de sangramento e em tratamento de uma infecção urinária. Estava com 23 semanas na época. Pamela deu à luz a quadrigêmeos na manhã desta terça feira (03).

As três meninas, Linda, Bela e Jade e um menino, Miguel, nasceram prematuros, de 30 semanas, e estão na UTI para receberem cuidados especiais. Eles nasceram através de uma cesariana pesando: 1.315g, 1.325g, 1.400g e 1.420g respectivamente.

Linda

Bela

Jade

Miguel

Segundo a Dra. Flávia do Vale, Coordenadora do Serviço de Obstetrícia do Hospital Icaraí, em Niterói, ao chegar ao hospital, foi feito diagnóstico de ameaça de parto prematuro pois o colo do útero estava muito fino. Flávia explica que em 2017, nasceram 193 quadrigêmeos e que a concepção espontânea de quadrigêmeos é muito rara sendo que a gestação média para uma gravidez quádrupla é de 28 a 31 semanas. “Nascimentos múltiplos tornaram-se mais comuns nos últimos anos porque mais pessoas estão usando medicamentos e procedimentos de fertilidade, como fertilização in vitro e indução de ovulação, para ajudar a conceber um bebê”, explica a médica.

Doutora Flávia complementa que se mais de um óvulo for liberado durante o ciclo menstrual e for fertilizado por um espermatozóide, mais de um embrião pode se implantar e crescer no útero. Este tipo de gravidez resulta em gêmeos fraternos não idênticos. “As gestações múltiplas devem ser consideradas gestações de alto risco devido ao aumento significativo da morbimortalidade perinatal, bem como ao potencial significativo de resultados maternos adversos”, afirma.

Segundo a especialista, a complicação mais comum da gravidez múltipla é o parto prematuro. Sendo que mais da metade de todos os gêmeos nascem prematuros. “Trigêmeos e quadrigêmeos quase sempre nascem prematuros. A maioria dessas gestações resulta em cesariana, muitas vezes devido ao mal posicionamento dos bebês”, alerta.

Entre os desconfortos sentidos pelas mães de múltiplos, Flávia explica que são os típicos da gravidez só que com mais intensidade, como dores nas costas, azia e outros sintomas da gestação.

A especialista complementa que o principal fator que aumenta as chances da paciente ter uma gravidez múltipla é o uso de tratamento para infertilidade, mas existem outros pontos como raça, idade, hereditariedade ou histórico de gravidez anterior.

To Top