Cidade

Morro do Morcego, em Jurujuba, é desapropriado

Morro do Morcego, em Jurujuba

Nesta quinta-feira (1º) foi assinada a desapropriação do Morro do Morcego, em Jurujuba, para a criação do Parque Natural Municipal do Morro do Morcego. A Prefeitura precisou desapropriar dois imóveis localizados no Morro do Morcego, que é o primeiro passo para a execução do projeto de implantação do parque municipal na região. O município formou uma comissão composta por técnicos de várias áreas da Prefeitura e representantes da sociedade civil com o objetivo de planejar como será o Parque Natural Municipal do Morro do Morcego. (Assista aos vídeos abaixo)

Imagens | Google

“Momento especial! Assinei hoje a desapropriação do Morro do Morcego! Ao lado do vereador Andrigo de Carvalho, líder do governo na Câmara Municipal de Niterói, e o secretário de Meio Ambiente, Rafael Robertson, reforçamos que a criação do Parque Natural Municipal do Morro do Morcego, em Jurujuba, é mais uma iniciativa da Prefeitura de Niterói para proteger o patrimônio natural, paisagístico e cultural do local. Estamos ampliando as políticas públicas voltadas para a valorização dos parques e a conectividade entre os territórios protegidos. Vamos em frente!” escreveu o prefeito Axel Grael, nas redes sociais.

Imagens | Google

O Morro do Morcego é uma presença marcante na paisagem da cidade. O objetivo é criar no local uma estrutura com centro de visitantes, restaurante e pontos de observação de uma paisagem reconhecida pela Unesco como patrimônio da humanidade. O prefeito Grael, enfatizou que a belíssima vista a partir do Morro do Morcego precisa ser utilizada para o turismo e desfrutada pela população de Niterói. “Essa iniciativa vai ser muito importante para a gente fortalecer a vocação de turismo e ecoturismo de Niterói, e também por valorizar espaços para a população fazer o seu lazer, o seu passeio. Com isso, vamos atingir um dos nossos principais objetivos que é gerar emprego, gerar oportunidades de trabalho para melhorar a qualidade de vida dos moradores”, afirmou Axel Grael.

Morro do Morcego | Foto: Heidi Vogel

A comissão formada pela Prefeitura para planejar o Parque Natural Municipal do Morro do Morcego é liderada pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, Rafael Robertson. O secretário disse que o futuro parque será uma conquista para a cidade. “Naquele local, além da questão ambiental, vamos dar à população a oportunidade de vivenciar uma joia da cidade que antes estava restrita às imagens aéreas. Um parque preservado é um parque utilizado. Eles são feitos para a população. O meio ambiente deve ser aproveitado, vivido, na mesma medida em que tem que ser respeitado”, disse o secretário.




Opinião

O executivo municipal quer saber a opinião da população sobre os possíveis usos públicos que podem ser dados pelo município ao futuro Parque Natural Municipal Morro do Morcego, localizado na Enseada de Jurujuba, às margens da Baía de Guanabara.

A pesquisa está disponível no Colab, plataforma usada pela Prefeitura para atender demandas do cidadão, e pode ser acessada tanto pelo aplicativo quanto pelo link https://consultas.colab.re/parquejurujuba. A nova unidade de conservação municipal está em fase de elaboração.

O secretário de Meio Ambiente de Niterói, Rafael Robertson, explica que a partir da transformação da área em unidade de conservação na categoria parque, a Prefeitura de Niterói estará garantindo proteção ambiental integral a um dos recantos de maior beleza do município. “A criação do parque público irá preservar essa joia da nossa cidade que é o Morro do Morcego. Será um lugar para a população ficar próxima à natureza. A categoria parque possui grau de proteção maior quando comparado à APA, pois prevê uma zona de amortecimento para a unidade de conservação; as pesquisas científicas realizadas em seu território necessitam de autorização prévia do órgão ambiental gestor; não admite a utilização da área por particulares (parcelamento do solo), facilitando desta forma ações de recuperação ambiental. O espaço ainda pode ser utilizado pela população para atividades de ecoturismo”, afirma Robertson.

Pesquisa

Ao acessar o Colab, o cidadão verá uma descrição sobre o que é o parque e terá acesso a cinco perguntas relacionadas à percepção que a população tem sobre o que significa uma unidade de conservação municipal e seu potencial de uso (esportivo, lazer, ecoturismo, educação ambiental, pesquisa científica, entre outros).

Os moradores também podem sugerir atividades a serem realizadas no local. Quem quiser participar pelo aplicativo do Colab, precisa baixar o app, que está disponível gratuitamente na Play Store (Android) e App Store (iOS), e realizar o passo a passo de cadastro.

To Top