Polícia

Órgão que monitora Niterói 24h atendeu mais de 2.300 investigações policiais

Cisp | Foto: Luciana Carneiro

Ferramenta que usa tecnologia de ponta, o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) da Prefeitura de Niterói se transformou em uma rede de apoio fundamental para auxiliar as polícias Civil, Federal e Polícia Rodoviária Federal na elucidação de crimes. Nos últimos quatro anos, o órgão atendeu a mais de 2.300 solicitações oficiais dos setores de investigação dessas forças de segurança. Além disso, disponibilizou, em tempo real, informações para abordagens que levaram à prisão imediata de criminosos em ação.

Cisp | Foto: Luciana Carneiro

Todas as elucidações foram possíveis graças ao trabalho integrado com monitoramento feito durante 24 horas, através de 522 câmeras de segurança operadas por Guardas Municipais. Além disso, existem 10 portais de segurança, com leitores automáticos capazes de verificar as placas de veículos em situação irregular nas entradas e saídas do município. O Cisp conta, ainda, com 70 câmeras inteligentes capazes de identificar veículos roubados, possibilitando uma ação mais rápida por parte das forças de segurança, e auxilia com o monitoramento dos suspeitos para apoiar os serviços de inteligência.



“A atuação das equipes de monitoramento e de inteligência do Cisp tem contribuído para inúmeras prisões. Este trabalho reduz drasticamente o sentimento de impunidade e está na base da redução dos índices de criminalidade de Niterói”, avalia Paulo Henrique de Moraes, secretário de Ordem Pública de Niterói.

Num balanço realizado pelo setor de inteligência do Cisp, o monitoramento diário de câmeras e o rastreamento feito após inserção de dados no sistema serviram como base para auxiliar as forças de segurança das polícias Civil, Federal e Rodoviária Federal em inúmeros casos. Foram 357 em 2019, 781 em 2020, 891 em 2021 e, até o momento, já foram 315 casos analisados com o auxílio do órgão em 2022.




“Esse número inclui diversos tipos de investigações e não somente aquelas que possam aparecer como potencial ofensivo médio. Essas análises são das mais variadas situações que podem inclusive ter acontecido em outro município, mas algum órgão de segurança recebe informação de que suspeitos poderiam ter vindo para a cidade. Nesses casos, um simples nome escrito no vidro de um carro utilizado pelos elementos ou uma parte da placa já é o suficiente. A partir daí, colocamos a informação no sistema, que identifica todo o trajeto do veículo. Então os setores de inteligência podem monitorar para investigação ou, se já existir um mandado de prisão em aberto, executar a ordem da Justiça. Então fazemos parte de uma grande rede de extrema importância”, explica Nilson Cunha, diretor do Cisp, que vem recebendo representantes de diversos municípios do estado do Rio, como do Campos dos Goytacazes, e de outros estados brasileiros, como Vitória, no Espírito Santo, para conhecer o modelo de monitoramento de Niterói.



Ele reitera que, desde a inauguração, em 2015, 209 veículos foram recuperados até hoje, sendo 15 só este ano. São 17.347 atendimentos através do 153 em 2022, totalizando 170 mil atendimentos desde o início de funcionamento do sistema. Esses números não são relativos a chamadas envolvendo ações de criminalidade, mas também em auxílio à população, já que o Cisp se tornou também uma importante ferramenta de auxílio à população através do número 153, cujo Call Center é operado por Guardas Municipais treinados para atendimento aos moradores em situações das mais variadas.

Na área assistencial, os agentes orientam e atendem situações como: resgate de animais, auxílio ao Samu, ordenamento urbano, trânsito, serviços operacionais da prefeitura, denúncias de posturas ou ambientais. O órgão também recebe, na área de delitos e através do 153, denúncias ou comunicados de roubos, furtos, clonagem de veículos, atitude suspeita, apoio averiguação preventiva estelionato dentre outros. Para cada ação, denúncia ou comunicado, os operadores do Call Center orientam para o órgão responsável ou o setor de inteligência passa a rastrear a situação.




O Cisp integra as forças de segurança estaduais, federais e municipais, além do Corpo de Bombeiros, NitTrans e Defesa Civil, e proporcionou, até o ano de 2021, a maior redução de criminalidade que já havia sido registrada na cidade nos últimos 20 anos, chegando a reduzir em mais de 80% alguns indicadores como furtos, roubo de veículos letalidade violenta dentre outros.



A redução dos índices também está apoiada nas ações institucionais implementadas pela Prefeitura através do Pacto Niterói contra a violência em 2018 e que tem investimentos de R$304 milhões, contemplando 18 projetos nos eixos de Prevenção, Policiamento e Justiça, Convivência e Engajamento dos Cidadãos e Ação Territorial Integrada.

“Niterói hoje tem um perfil diferenciado. Combate à violência não se faz da noite para o dia, mas também através de ações e planejamento que envolvam todos esses eixos”, reforça o secretário de Ordem Pública, Paulo Henrique de Moraes.




Dentre as ações, a Prefeitura criou o Observatório de Segurança Pública de Niterói, a Cidade da Ordem Pública, o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), o Cercamento Eletrônico e o programa Niterói Presente que até 2021 era pago integralmente pela prefeitura. Além disso, houve a ampliação do Proeis na cidade; a reforma das delegacias policiais; a reestruturação da Guarda Municipal com aumento do efetivo.

To Top