Cidade

Treinamento capacita guardas municipais de Niterói na atuação do enfrentamento à violência contra mulher

A Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres (Codim), da Prefeitura de Niterói, realizou na última quinta-feira (24), mais uma etapa do Treinamento Lilás, no auditório da Cidade da Ordem, no Barreto. Dessa vez, o alvo foram os agentes masculinos da Guarda Municipal da cidade. Sessenta homens passaram pela capacitação e mais 60 farão nesta próxima semana. Ao longo do ano, serão 600 guardas municipais treinados para agirem em situações de violência contra as mulheres.

A secretária de Políticas e Direitos das Mulheres, Fernanda Sixel, reforçou a importância de oferecer capacitação para que os agentes reconheçam uma situação de violência e estejam aptos a agir. “O Treinamento Lilás já capacitou mais de mil pessoas e o foco principal são os servidores da prefeitura que estão na ponta, lidando diretamente com a população. Em 2021, formamos toda a GCM Feminina, a Patrulha Escolar e os operadores da Nittrans. Agora seguimos ampliando, formando os motoristas de ônibus, com foco no combate ao assédio nos transportes públicos e, em conjunto com a Secretaria de Ordem Pública, vamos capacitar toda a Guarda Civil masculina. Nossa Guarda Municipal está ainda mais preparada para identificar as situações de violência contra a mulher, abordando com um atendimento humanizado e necessário a cada caso, integrando-se a rede de proteção e enfrentamento à violência existente na cidade. Levar conhecimento e formação sobre gênero e as diferentes formas de violências é fundamental para a garantia de direitos e a necessária construção da equidade de gênero”, declarou a secretária.

A Codim vem capacitando seus servidores para atuarem no combate à violência contra a mulher e auxiliar no acolhimento das vítimas. Até o momento, 110 Guardas Femininas passaram pelo curso. Este mês, começou o treinamento dos Guardas Masculinos que vai se estender ao longo do ano. O objetivo é ter um olhar especializado no atendimento às mulheres vítimas de agressão, além de conhecerem a Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher na cidade e os órgãos parceiros para possível encaminhamento da vítima.

A subinspetora Kátia Bastos está à frente dos cursos como representante da Guarda Municipal junto a Codim e diz que o treinamento tem feito toda a diferença. Ela explica que a nova bateria de cursos vai qualificar ainda mais toda a corporação com relação a esse tipo de atendimento diferenciado para mulheres vítimas de violência. “Nós já temos uma guarda muito bem treinada, mas a questão de agressão à mulher passa por um processo muito delicado, pois muitas vezes tem crianças envolvidas. O curso amplia esse conhecimento das equipes para atuarem de forma humanizada e seguindo os trâmites de buscar as redes de apoio que não sejam somente as delegacias. A Guarda acompanha todo o processo até que a vítima possa estar num local seguro ou o que for definido pelas autoridades e redes de apoio”, explicou a subinspetora.

O treinamento contou com a presença do professor de Antropologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Rolf Malungo, que abordou o tema “Qual o custo físico e psíquico de ser um sujeito homem”. “Foi uma experiência muito legal discutir a condição social da masculinidade com esses homens. Acreditamos que para termos um diálogo com as mulheres, precisamos de uma transformação das relações de gênero. Nós homens temos que entender o que nós somos, o que nos faz homens e a partir dessa ideia construir uma sociedade mais harmônica com a agenda das mulheres”, disse Rolf.

To Top