Niterói vai usar tecnologia para auxiliar mulheres a denunciar casos de violência - Niterói
Cidade

Niterói vai usar tecnologia para auxiliar mulheres a denunciar casos de violência

Consulta Pública que está no ar vai aprimorar acessibilidade no atendimento às mulheres

A Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres (Codim), em parceria com a Secretaria de Acessibilidade, quer melhorar o atendimento às usuárias que necessitam de atendimento de forma diferenciada. Por isso, está no ar uma consulta pública onde todas as pessoas podem votar na escolha do Avatar, que vai interagir em Libras (Língua Brasileira dos Sinais), com essas mulheres na hora da denúncia de casos de violência. Até o momento, quase 200 pessoas já deixaram seu voto.

A consulta pública pode ser acessada pelo link https://consultas.colab.re/codimacessivel e pelo aplicativo Colab, disponível para download gratuito na Play Store (Android) e App Store (iOS).

A coordenadora de Políticas e Direitos das Mulheres, Fernanda Sixel, destaca que a Codim vem trabalhando em diversas ações de inclusão no atendimento. “O enfrentamento à violência e o atendimento às mulheres que, infelizmente, passam por essa situação são obrigações do poder público. Estamos empenhadas em melhorar cada vez mais o atendimento, garantindo acessibilidade e uma política de inclusão nos nossos equipamentos. O compromisso da inclusão é uma tarefa de todos enquanto sociedade civil. Para isso, estamos promovendo uma Consulta Pública, em parceria com a Secretaria de Acessibilidade, que permitirá não só escolher o Avatar para a comunicação assistiva, mas também opinar sobre como podemos deixar a nossa cidade cada vez mais acessível. Pensar no próximo, pensar no coletivo, é fazer com que a nossa cidade continue avançando”, ressalta a coordenadora.

A consulta pública tem perguntas como: que nome você gostaria que o avatar tivesse, qual avatar melhor representa a luta pelos direitos das mulheres da nossa cidade (imagens serão mostradas), idade, gênero, bairro, se possui alguma deficiência, se conhece a Central de Interpretação de Libras (CIL), como você acha que é possível tornar a nossa cidade mais acessível e inclusiva para todas as mulheres e algumas questões específicas sobre os serviços e equipamentos da Codim.

Acessibilidade

A Codim e a Secretaria de Acessibilidade estão implantando uma série de ações de inclusão para auxiliar o atendimento de mulheres com necessidades especiais. O objetivo é melhorar o acesso e a comunicação com esse público. A Codim está implantando tablets assistivos nos seus equipamentos de atendimento como a Sala Lilás e o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), que está passando por uma ampla reforma, revitalizando todos os espaços e tornando acessíveis com a implantação de rampas, piso tátil e a construção de um banheiro adaptado para mulheres portadoras de deficiência locomotora. Além disso, as equipes passaram por uma capacitação em Libras e a Codim passou a legendar os vídeos e utilizar tags que auxiliam os deficientes visuais a entenderem a imagem publicada, além do uso de recursos das plataformas das redes sociais que possibilitam acessibilidade.

Foto: Arquivo

To Top