Saúde

Covid-19: Rio com bandeira verde, Niterói com bandeira amarela

Covid-19: Rio com bandeira verde, Niterói com bandeira amarela

A 54ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (29) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), revela que, pela primeira vez desde sua primeira edição, publicada em 08 de julho de 2020, a região Metropolitana l, onde se encontra a Capital, ficou classificada na bandeira verde (risco muito baixo). De acordo com a SES, na média geral do estado, o número de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) caiu 45%; e de óbitos 52%. A análise compara as semanas epidemiológicas 41 (de 10 a 16 de outubro) com a 39 (de 26 de setembro a 02 de outubro).

Mapa de Risco da Covid-19

As informações do Mapa de Risco da Covid-19 são divulgadas todas as sextas-feiras e publicadas no Painel Covid do estado. Segundo a SES, o índice é calculado a partir dos indicadores epidemiológicos e assistenciais de cada município e região.

Com o avanço da campanha de imunização e a diminuição de transmissão da doença, a taxa de ocupação segue em queda. De acordo com a Secretaria, a de UTI passou de 41%, no levantamento anterior, para 33%; e a de enfermaria, de 21% para 20%.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

Niterói que está inserida na Região Metropolitana II, ainda está em bandeira amarela, de acordo com o Mapa de Risco da Covid-19 da SES, com risco baixo de contrair a doença. Entretanto a bandeira amarela ainda exige alguns cuidados de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, confira a lista de recomendações:

Risco Baixo – Sinalização Amarela

Distanciamento Social Seletivo 2 (incluindo as medidas do Distanciamento Social Seletivo 1 também descritas abaixo):

a. Casos suspeitos ou confirmados – Isolamento domiciliar e monitoramento de casos sintomáticos e contatos;
b. Proteção de grupos vulneráveis – Distanciamento social, garantia de acesso às necessidades básicas, acesso e acessibilidade aos serviços de saúde;

c. Serviços de saúde – Reforçar medidas contra a transmissão da COVID-19 nas unidades de saúde;
d. Distância física, higiene e limpeza – Redução de contato, reforço em higiene e etiqueta respiratória;
e. Comunicação de risco – Fortalecer os processos de comunicação interna (entre os órgãos e profissionais) e comunicação externa (com o público);
f. Evitar atividades que gerem aglomeração de pessoas.

Etiqueta Respiratória

De acordo com a Secretaria de Saúde de São Paulo, a etiqueta respiratória deve ser praticada por todos: Cobrir a boca e o nariz durante a tosse e espirros usando máscara comum, lenços de papel ou cotovelo flexionado, seguido de higiene das mãos.

Niterói vai liberar em janeiro o uso de máscaras em áreas abertas

Nesta segunda-feira (01), Niterói entrará na fase 2 do Programa Novo Normal Niterói, um conjunto de regras que está orientando a cidade neste momento da pandemia de Covid-19. Nesta nova fase, não será mais obrigatório o uso de máscara em qualquer atividade física ao ar livre. O município tem 100% da população com mais de 18 anos vacinada em primeira dose. Em janeiro está programada a liberação de máscaras em locais abertos, na fase 3 do Programa. As medidas foram anunciadas pelo prefeito da cidade, Axel Grael, durante transmissão ao vivo pelas redes sociais.

Esta fase também prevê a suspensão do horário limite para fechamento de bares, restaurantes e afins. Ainda haverá permissão para o funcionamento de casas noturnas, casas de festas, pubs e boates, com até 80% da capacidade de público, mediante comprovação de esquema vacinal completo.

O prefeito Axel Grael destacou que desde o início de 2020, o município vem adotando medidas com base na ciência e nas melhores experiências internacionais. “O governo do estado liberou o uso de máscaras em áreas abertas, mas cada município pode tomar as decisões que julgar adequadas. Em Niterói, vamos fazer a liberação do uso de máscaras em janeiro, em áreas abertas, sempre com a preocupação de preservar a saúde de todos”, explicou.