Geral

Fórum debate Janeiro Branco entre jovens de Niterói

Divulgação

A Prefeitura Municipal de Niterói, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), organizou mais uma edição do “Fórum Intersetorial de Atenção Psicossocial da infância e adolescência da cidade de Niterói”. O encontro, que aconteceu no Auditório da Secretaria Municipal de Educação, em momento pontual, abordou o Janeiro Branco.

“Janeiro é reconhecido como o mês de conscientização da saúde mental e iniciar o ano com um diálogo sobre saúde mental demonstra a importância da referida política pública para o Sistema Único de Saúde de Niterói. O Fórum ocorrerá de forma mensal e tem por objetivo discutir diversas temáticas, fomentando a presença de crianças, adolescentes e jovens para que se aproximem das políticas públicas existentes, principalmente as de atenção psicossocial. O cuidado da saúde mental de crianças e jovens forma adultos com a capacidade de lidar melhor com as adversidades.” celebra, a Secretária Municipal de Saúde, Anamaria Schneider

 

O encontro foi realizado como uma roda de conversa, com a possibilidade de participação e fala de todos os presentes, podendo contar com Saúde, Educação, Justiça, Sociedade civil, ONGs, Conselho Municipal de direitos da criança e do adolescente, entre outros. O grupo expôs sobre a importância do diálogo com o território, o fortalecimento dos vínculos, a garantia de direitos, as estratégias de acesso aos benefícios sociais, e outras temáticas, porém destacaram que o que mais importa é escutar a necessidade dessa população e quais assuntos eles querem discutir, garantindo o acesso e o interesse pela participação popular no fórum.

Uma das principais articuladoras foi a coordenadora regional da Gerência de Atenção Psicossocial (CAPS) da Fundação Estatal de Saúde (FeSaúde) de Niterói, Késia Souza. Ela explicou que o fórum tem abordado temáticas diversas e destacou a importância do Janeiro Branco.

“Pensando Janeiro Branco como um momento de discutir a saúde mental e emocional, e considerando, que por vezes, o sofrimento em saúde mental, pode aparecer de forma silenciosa e as pessoas tem dificuldade de pedir ajuda e tem até um certo constrangimento, poder discutir saúde mental aproxima a população da possibilidade de pedir ajuda e de valorizar a promoção de saúde. Este é um espaço que potencializa a rede e o olhar sobre a atenção Psicossocial e demais questões que atravessam as infâncias e as adolescências da cidade”.

As ideias foram apresentadas e construíram pactuações para os próximos encontros, além do convite para o desfile do bloco Loucos pela Vida, que será no próximo dia 6 de fevereiro. Lá será o encontro de fórum, pois o grupo entende que este desfile é um momento de luta pelo direito à cidade da população que apresenta alguma questão de saúde mental.

O Fórum retomou as suas atividades no mês de novembro de 2023, e tem acontecido mensalmente desde então. Ele tem o objetivo de reunir profissionais da rede municipal de saúde, com os demais atores formais e informais da rede intersetorial, construindo diálogos sobre as questões e demandas em torno da promoção de saúde mental e atenção Psicossocial, fortalecimento dos vínculos, acesso a cultura, lazer e arte, entre outras temáticas fundamentais que atravessam o cuidado voltado as infâncias e adolescências.

To Top