Cidade

PortosRio implanta Subsistema de Monitoramento Ambiental na Baía da Guanabara

Estação meteorográfica na Fortaleza de Santa Cruz.

No intuito de implementar o Subsistema de Monitoramento Ambiental (SMA) nos Portos do Rio de Janeiro e de Niterói, a PortosRio Autoridade Portuária instalou, no último mês de dezembro, as estações meteorológicas, maregráficas e oceanográficas, em diversos pontos da Baía de Guanabara.

Foram instaladas 10 estações, conforme projeto elaborado pela empresa contratada Precursore, após um convênio firmado entre a Autoridade Portuária e o Comando de Operações Navais (ComOpNav). Já a instalação na Fortaleza de Santa Cruz da Barra, em Niterói, teve base em um Termo de Cessão em Condições Especiais, bem como uma boia meteo-oceanográfica fundeada nas proximidades da Ilha do Pai.

Estação meteorológica na Ilha Fiscal

Boia

Os dados dos equipamentos são disponibilizados em tempo real pela empresa contratada Hidromares, por meio da plataforma online SISMO, que conta também com um aplicativo. O gestor de VTMIS da PortosRio, Marcelo Villas-Bôas, explicou que “pelo SISMO, é possível acessar os dados por estação, que incluem informações sobre variação temporal de maré para as estações maregráficas; direção e velocidade do vento, temperatura e umidade do ar, pressão atmosférica, precipitação e visibilidade para as estações meteorológicas; altura, direção e período das ondas, correntes em superfície, meia água e fundo para as estações oceanográficas”.

Para a superintendente de Sustentabilidade do Negócio da PortosRio, Gabriela Campagna, “o SMA permitirá maior controle nas condições ambientais da Baía de Guanabara, servindo de exemplo da integração entre as áreas operacionais e destacando a preocupação da PortosRio de investir em tecnologias e ações que atendam ao objetivo estratégico de “Tornar-se um Porto Verde”.

Boia ODAS

Ponta

Próximas fases – Segundo o superintendente de Tecnologia da Informação da PortosRio, Carlos Cerveira, “apesar da plataforma SISMO ser de acesso restrito, a PortosRio irá disponibilizar, em seu site, dados abertos para uso das comunidades marítima e científica, sendo possível visualizar as informações em tempo real, bem como realizar o download de dados históricos”.

Estão previstas também a condução do Plano de Treinamento e Qualificação dos empregados da PortosRio no acesso aos dados dos equipamentos utilizados nas estações do SMA e a Operação Assistida, que compreende um conjunto de atividades como treinamento e capacitação das equipes responsáveis pela operação dos portos.

Estação maregráfica na Ponta da Armação

Santa Cruz

Saiba mais – Das dez estações de coleta de dados instaladas, seis são de responsabilidade da PortosRio, duas de responsabilidade da Rio Brasil Terminais e outras duas sob a responsabilidade do Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SIMCosta), ficando a cargo da PortosRio a integração de todos os dados ao SMA.

O SMA faz parte do sistema VTMIS, cuja implantação está em andamento nos Portos do Rio de Janeiro e Niterói, visando, além do monitoramento ambiental, prover informações de auxílio à navegação para aperfeiçoar a segurança aquaviária e aumentar a eficiência operacional dos terminais, dentre outros objetivos. O SMA foi integrado ao software de calado dinâmico ReDRAFT, utilizado pela Praticagem-RJ e em implantação pela PortosRio, visando aumentar o calado operacional máximo utilizado no Porto do Rio de Janeiro, sem prejuízo à segurança da navegação.

To Top