Meio ambiente

Parceria em Niterói prevê ampliação de trabalhos para preservação de manguezais

A parceria prevê ampliação de trabalhos de educação ambiental na cidade que já conta com 56 % de áreas protegidas. | Foto: Lucas Benevides

Com mais de 56% de áreas protegidas, o município de Niterói deu início nesta terça-feira (13) a mais um projeto com o objetivo de atuar na Conservação Ambiental de áreas verdes da cidade. O prefeito Axel Grael, assinou termo de cooperação técnica com a Ong Guardiões do Mar por meio do Projeto UÇÁ – que conta com o patrocínio Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental – para implementação de um amplo programa de educação ambiental na cidade, com foco na conservação de manguezais, considerado berçário da vida marinha, local de reprodução de diversas espécies marinhas e costeiras.

O convênio assinado ontem começa a ser implantado em 2023 e vai unir instituições, escolas da rede pública entre outras entidades e associações, com o objetivo de mostrar que toda a população pode colaborar de alguma forma para a conservação e chamar a atenção quanto a importância dos ecossistemas marinhos e costeiros. A cidade vai incluir também em sua agenda ambiental de Niterói a primeira edição do Seminário Nacional de Manguezais, que realizará uma grande troca de experiências entre parceiros, academia e comunidades tradicionais.

Foto: Lucas Benevides

A prefeitura vai mobilizar diversas secretarias e órgãos públicos para agregar a expertise do Projeto UÇÁ e da Guardiões do Mar. É a organização que mais retirou resíduos sólidos da Baía de Guanabara na última década: coletou 44 toneladas de lixo de 37 hectares deste ecossistema por meio da Operação LimpaOca, restaurou 410 mil metros quadrados de florestas de mangue na APA de Guapi-Mirim e plantou mais de 121 mil árvores das três espécies de mangue. Serão feitas oficinas, ações de limpeza, palestras e atividades diversificadas.

“Essa parceria vem de encontro às nossas políticas públicas de cada vez mais implementar iniciativas que ajudem a preservar nosso meio ambiente e nosso ecossistema. O trabalho do projeto é de extrema importância nos manguezais e podemos incluir a sociedade como um todo também em torno das lagoas, que são ambientes em constante modificação, e Niterói também conta com seus manguezais que são importantes berçários de nossa fauna” disse o prefeito Axel Grael.

O presidente da Ong Guardiões do Mar que completa 25 anos dedicados a trabalhos de educação ambiental, pesquisa e sustentabilidade, Pedro Belga, lembra a importância dos manguezais. “Nós buscamos fazer a nossa parte para que os manguezais tenham as suas funções restabelecidas e realizamos ações que possam mitigar os efeitos da mudança climática nesses locais, que são grandes estocadores de carbono. É importante que a população tenha consciência e ajude, pois protegendo o manguezal – seja retirando os resíduos ou impedindo que cheguem até esses lugares – estamos também colaborando com as espécies de animais e vegetação, restabelecendo as funções ecológicas e a biodiversidade”, esclareceu Belga.

Amanda Jevoux, assessora ambiental da Prefeitura que atuará como gestora municipal da parceria, explica que, dentre as espécies a serem preservadas estão o próprio caranguejo-uçá que na cadeia ambiental tem como função ecológica a manutenção dos manguezais ajudando na aeração de sedimentos e entre outras coisas ajudando a manter os nutrientes do solo. “Precisamos lembrar que os manguezais são berçários da vida marinha porque muitos animais se reproduzem e criam seus filhotes nesses locais retornando novamente ao mar e fazendo a manutenção de um ciclo. Trabalhar educação ambiental nessas áreas também é importante porque esses animais que retornam ao mar fazem parte da cadeia produtiva. É todo um ciclo de preservação e por isso é cada vez mais importante que a população seja envolvida em trabalhos de educação ambiental”, explicou Amanda.

A Guardiões do Mar

Desde 1998, a ONG Guardiões do Mar atua como incubadora de projetos e ações socioambientais que produzem conhecimento científico, promovem o protagonismo juvenil e mobilizam lideranças comunitárias e povos tradicionais para a conservação de manguezais, em especial no combate ao lixo em ecossistemas costeiros.

Atua hoje nos Projetos UÇÁ e EDUC (com a Petrobras), Sou do Mangue (com a Nova Transportadora do Sudeste/NTS), Guanabara Verde (com Patrocínio Ocean Pact), Blue Carbon e o recém-contratado Mangue Doce (com a Fundação Grupo Boticário), além Do Mangue ao Mar (em convênio com a Transpetro).

Pioneira em educação ambiental inclusiva, foi vencedora do Prêmio Hugo Werneck (2017) e do Prêmio Firjan Ambiental (2020). É cocriadora da Rede Águas da Guanabara – REDAGUA e da Rede Nacional de Manguezais – RENAMAN, coordena o Subcomitê Leste da Bacia Hidrográfica da Baía de Guanabara e participa da Rede Manguezais Litoral Norte de SP, do Movimento Viva Água – Baía de Guanabara (capitaneado pela Fundação Boticário, SEA, INEA e FIRJAN) e da Rede Nós da Guanabara (composta por pescadores artesanais, catadores de caranguejo, quilombolas e agricultores familiares que tem como principal objetivo fomentar o Turismo de Base da Guanabara).

A ONG Guardiões do Mar é parceira do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA, como um Ator da Década para a Restauração de Ecossistemas 2021-2030, signatária da Rede Oceano Limpo, um projeto fruto de uma parceria entre a Cátedra UNESCO para a Sustentabilidade do Oceano (IO-USP/IEA-USP) com o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO) e do movimento Plastic No Thanks, conectado a outras grandes coalizões internacionais para a aprovação de um acordo que objetiva reduzir a poluição de embalagens plásticas no planeta.

To Top