Geral

Apae Niterói elege novo presidente

Chapa única encabeçada por Octavio Simões substituirá Sonia dos Anjos, que cumpriu dois mandatos. Diretoria é voluntária

O pedagogo Octavio Simões de Carvalho Filho foi eleito o novo presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Niterói, para o mandato de 1º/01/2023 a 31/12/2025. Ele substituirá a nutricionista Sonia Maria Saraiva dos Anjos, presidente por dois mandatos. Como vice, permanece o advogado Octavio Augusto Miguel Veiga.

“Uma andorinha só não faz verão. Senti isso na pele. Unidos fazemos a Apae crescer. Dependemos uns dos outros. Lutem por isso aqui. Os pais também devem participar da gestão. Nossas assistentes sociais e psicólogas trabalham bastante junto às mães porque elas são muito importantes em todo o funcionamento institucional. Mudei muitas coisas, e fui até ousada em várias delas, mas pelo bem da entidade. Importante que se preserve o espaço pensando sempre na continuidade pelas gerações seguintes, tendo em mente que os cargos não são nossos, e sim estamos neles”, declarou Sonia dos Anjos, desejando sucesso à chapa vencedora, que foi única.

Apae Niterói

Também irão compor a Diretoria: Eunice Bastos de Souza (1ª diretora financeira), Jairo Mota da Silveira (2º diretor financeiro), Tania de Cássia Ribeiro dos Santos Silva (1ª secretária), Raimunda Nonata Pereira Gomes (2ª secretária), Claudia Maria Rodrigues de Souza (diretora de Patrimônio) e Iracilda da Silva Diniz (diretora social). Eles, assim como a Presidência, são voluntários nos cargos.

“Tenho o desafio de dar continuidade ao que já foi feito, pois as realizações da Sonia são muitas e reconhecidas pela comunidade. Minha prioridade é reabrir o núcleo profissionalizante. Tenho uma ideia, que ainda não é um projeto, de investir num centro de reciclagem de eletroeletrônicos, o que hoje é uma necessidade do município. Nossos assistidos têm plenas condições de atuarem neste ramo. Para isso, precisamos reativar nosso imóvel no Viçoso Jardim, onde funcionavam as oficinas de padaria, confeitaria, artesanato, cartonagem, antenas e costura, cujos produtos eram comercializados e geravam renda para nossos assistidos, e que foi desativado há cerca de oito anos por questões financeiras”, disse o novo presidente.

No Conselho Administrativo estarão Joana Darc de Jesus Souza Lapa, Maria das Graças de Oliveira, Irany da Silva Pinto, Angela Maria Alves e Fatima Bento; e o Conselho Fiscal contará com Ana Maria da Silveira, Edna Ramos Andrade e Marlene Martins de Souza Paiva (efetivas); Livia Ribeiro Garcia, Maria da Penha de Jesus da Silva e Venina Rodrigues Pinto (suplentes).

A Apae é uma entidade civil, filantrópica, de direito privado, sem fins lucrativos e de utilidade pública. Foi inaugurada em Niterói em 2 de agosto de 1965, por um grupo de pais e pela professora Rosa Abi-Ramia Haddock Lobo, na época chefe de Educação Especial do Governo do Estado do Rio de Janeiro, que se tornou a primeira presidente da associação.O objetivo inicial era oferecer educação e apoio a pessoas com Síndrome de Down, mas sua atuação se ampliou ao longo das décadas e hoje a instituição oferta também serviços em saúde e assistência social para pessoas com outros tipos de deficiência intelectual, além de física e múltipla.

Sua incorporação à rede SUS, o sistema único de saúde do governo federal, nos anos 2000, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde, possibilitou sua melhor estruturação, com a contratação de profissionais e a continuidade dos serviços. Hoje, a Apae de Niterói realiza mais de quatro mil procedimentos variados por mês a mais de 500 munícipes com deficiência.

O movimento apaeano é o maior do Brasil em prol das pessoas com deficiência intelectual e múltipla. São mais de duas mil e duzentas unidades no país, com a missão de promover e articular ações em defesa dos direitos das pessoas com deficiência e em apoio às famílias, por meio de serviços e orientação, visando à construção de uma sociedade mais solidária e justa, com inclusão, acessibilidade, oportunidades, protagonismo e cidadania a este segmento. A instituição adota como símbolo a figura de uma flor margarida, ladeada por duas mãos desniveladas: uma em posição de amparo e outra de orientação; embaixo, há dois ramos de louro com o número de folhas igual ao de estados brasileiros mais o Distrito Federal.

O Dia Nacional das Apaes é comemorado anualmente em 11 de dezembro, como estabelece a Lei Federal nº 10.242 de 2001. É a data de surgimento de sua primeira unidade no Brasil, em 1954, na capital carioca. Já o termo “excepcional”, antes referente a pessoas com impedimentos, dificuldades ou atrasos no desenvolvimento, de natureza física e/ou intelectual, caiu em desuso, apesar de ter sido mantido no nome da instituição. Tal designação foi substituída por outras até que evoluiu para a expressão “pessoa com deficiência”, chancelada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2006, a qual evidencia que o deficiente é, antes de tudo, um ser humano.

To Top