Cidade

População de Niterói poderá contribuir com ideias para o Parque do Morro do Morcego

Morro do Morcego, em Jurujuba

O executivo municipal quer saber a opinião da população sobre os possíveis usos públicos que podem ser dados pelo município ao futuro Parque Natural Municipal Morro do Morcego, localizado na Enseada de Jurujuba, às margens da Baía de Guanabara.

A pesquisa está disponível no Colab, plataforma usada pela Prefeitura para atender demandas do cidadão, e pode ser acessada tanto pelo aplicativo quanto pelo link https://consultas.colab.re/parquejurujuba.

A nova unidade de conservação municipal está em fase de elaboração. Além de poder opinar e contribuir com ideias através do Colab, os moradores de Niterói também poderão participar da consulta pública oficial para apresentação do estudo técnico de criação do parque, que será realizada presencialmente no dia 21 de novembro, às 17h30, no C.E.U. Niterói (Estrada General Eurico Gaspar Dutra, 34, Jurujuba).

Já no dia 29 de novembro, às 15h, será a vez do estudo técnico de criação do Parque Natural Municipal do Morro do Morcego ser apresentado ao Conselho de Meio Ambiente de Niterói (COMAN). Os interessados em participar devem solicitar o link da reunião pelo e-mail juridicosmarhs@gmail.com com pelo menos uma hora de antecedência do encontro.

O secretário de Meio Ambiente de Niterói, Rafael Robertson, explica que a partir da transformação da área em unidade de conservação na categoria parque, a Prefeitura de Niterói estará garantindo proteção ambiental integral a um dos recantos de maior beleza do município. “A criação do parque público irá preservar essa joia da nossa cidade que é o Morro do Morcego. Será um lugar para a população ficar próxima à natureza. A categoria parque possui grau de proteção maior quando comparado à APA, pois prevê uma zona de amortecimento para a unidade de conservação; as pesquisas científicas realizadas em seu território necessitam de autorização prévia do órgão ambiental gestor; não admite a utilização da área por particulares (parcelamento do solo), facilitando desta forma ações de recuperação ambiental. O espaço ainda pode ser utilizado pela população para atividades de ecoturismo”, afirma Robertson.



Pesquisa

Ao acessar o Colab, o cidadão verá uma descrição sobre o que é o parque e terá acesso a cinco perguntas relacionadas à percepção que a população tem sobre o que significa uma unidade de conservação municipal e seu potencial de uso (esportivo, lazer, ecoturismo, educação ambiental, pesquisa científica, entre outros).

Os moradores também podem sugerir atividades a serem realizadas no local.

Quem quiser participar pelo aplicativo do Colab, precisa baixar o app, que está disponível gratuitamente na Play Store (Android) e App Store (iOS), e realizar o passo a passo de cadastro.

To Top