Cultura

Museu da Justiça de Niterói abre exposição de fotos que revelam o inusitado no cotidiano da cidade

Arquivo

Quem visita o Museu da Justiça de Niterói, desde a última terça-feira (13/9), pode conhecer a exposição Revelando Niterói, com 50 fotos do fotógrafo Miguel Regazoni, que se propõe a tornar evidente o cotidiano da cidade, mostrando espaços e ambientes que fazem parte da paisagem urbana.

As fotografias, em preto e branco, possibilitam o enfoque no mais inusitado do corriqueiro, no surpreendente detalhe do cotidiano, ou até mesmo certas manifestações do invisível à espera de atenção nas calçadas e ruas da cidade.

Construído para sediar o Tribunal da Relação do antigo Estado do Rio de Janeiro e o Fórum da Comarca de Niterói, o então Palácio da Justiça de Niterói sediou a Corte daquele estado de 1920 até 1975, ano em que se deu a fusão com o Estado da Guanabara. Em 2009, foram realizadas as últimas sessões do tribunal do júri e, no ano seguinte, o prédio foi submetido a obras de reforma e restauração abrigando, hoje, o Museu da Justiça de Niterói.

Além dos espaços históricos, os visitantes também poderão conhecer a exposição Pandemias e Epidemias no Rio de Janeiro, agora em exposição permanente no Museu da Justiça de Niterói.

  • Abertura: 13 de setembro
  • Museu da Justiça de Niterói
  • De segunda a sexta-feira, das 11h às 17h
  • Praça da República S/Nº – Centro, Niterói
  • Entrada franca
  • Classificação indicativa: livre
To Top