Cidade

Ônibus são apreendidos e deixam de circular em Niterói

Arquivo

O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj), sindicato que representa os consórcios Transnit e Transoceânico, emitiu uma nota na manhã desta segunda-feira (12) em que faz um alerta para o agravamento da crise no transporte público municipal em Niterói.

De acordo com o Setrerj, pressionada pelo congelamento da tarifa por três anos e pelas perdas durante a pandemia de Covid-19, a Auto Ônibus Brasília foi obrigada, a partir desta segunda (12), a reduzir a frota em circulação, o que levou à paralisação de três das nove linhas da empresa que atendem sete bairros das zonas Norte e Sul de Niterói, além do Centro. Nesta madrugada, a empresa teve 16 veículos apreendidos por decisão judicial por não cumprir os prazos de pagamento do financiamento realizado para a compra de ônibus em 2018.

A entidade inclusive chamou a atenção para a possibilidade de demissão “Com a retirada dos veículos da Auto Ônibus Brasília, aumenta também o risco de afastamento imediato de colaboradores com a redução forçada da operação, que provocará forte impacto social no setor rodoviário. É importante lembrar que a Brasília é a segunda empresa a apresentar graves restrições financeiras devido à crise que atinge o transporte público por ônibus em Niterói. Recentemente, a Auto Viação Ingá teve dificuldades no pagamento de seus funcionários devido ao esgotamento financeiro, mas conseguiu regularizar a situação, afastando a possibilidade de paralisação dos rodoviários.” diz a nota do o Setrerj.

A Auto Ônibus Brasília opera as seguintes linhas em Niterói: 61 (Venda da Cruz x Icaraí), 67 (Morro do Castro x Centro), 41JB (Venda da Cruz x Centro – Via João Brasil), 41BC (Venda da Cruz X Centro – Via Benjamin Constant), 42SL (Barreto x Centro, Via São Lourenço), 42T (Barreto x Terminal João Goulart), 28 (Centro x Largo do Cravinho), 66 (Barreto x Icaraí) e 66C (São Lourenço x Centro).

Procurada, a prefeitura de Niterói respondeu em nota ao nosso questionamento, “A Secretaria Municipal de Urbanismo e Mobilidade está acompanhando a situação para verificar as possíveis medidas que podem ser adotadas.”

To Top