Economia

Moeda Social de Niterói bate R$ 50 milhões em vendas

Foto: Bruno Eduardo Alves

A Moeda Social Arariboia completou, nesta segunda-feira (20), R$ 50.009.107,21 em vendas, injetados diretamente na economia da cidade. O programa de transferência de renda permanente está perto de chegar à marca das 700 mil transações realizadas nesses cinco meses de circulação nos comércios de Niterói. A moeda social é uma aposta do governo municipal na retomada econômica e no auxílio da população em vulnerabilidade social. A Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária é a responsável pela gestão do programa, que foi lançado em janeiro deste ano.

O prefeito de Niterói, Axel Grael, ressaltou que a Moeda Social Arariboia fortalece a economia da cidade.

“Os números provam que a Moeda Arariboia cumpre importante papel no sustento das famílias niteroienses que mais precisam e no apoio a milhares de empresas e pequenos empreendedores, garantindo emprego e renda, sobretudo nas regiões mais vulneráveis da nossa cidade. Uma política pública consistente, que gera resultado para quem recebe o cartão e para o comerciante que atua dentro das comunidades. Avançaremos transformando vidas, através do desenvolvimento econômico, com sustentabilidade e justiça social”, destaca o prefeito.

A Moeda Social nasceu com a ideia de combater as desigualdades sociais, fomentar o desenvolvimento econômico e social das comunidades e estabelecer meios para atingir a erradicação da pobreza e a geração de emprego e renda para as camadas mais carentes do município.

Elton Teixeira, secretário de Assistência Social e Economia Solidária, reforça que o programa ajuda muitas famílias e alavanca os comércios comunitários.

“O programa beneficia 31 mil famílias em vulnerabilidade social de Niterói todos os meses. Com ele, ganha quem mais precisa de ajuda e ajuda no desenvolvimento do comércio local, principalmente dentro das comunidades. A Moeda Social Arariboia já é uma realidade em Niterói e tem servido de inspiração para outros municípios”, analisa o secretário.

A Moeda Social Arariboia foi lançada em novembro de 2021 e teve seu primeiro crédito no mês de janeiro/22, quando foi implementada. O programa beneficia famílias que estão cadastradas no CadÚnico e que fazem parte do recorte de renda que as classifica como em situação de vulnerabilidade ou extrema vulnerabilidade.

O valor varia conforme o número de membros da família. O valor inicial, para o primeiro membro, é de R$ 250. A partir daí, cada membro recebe R$ 90 até mais cinco pessoas, totalizando 6 integrantes de uma mesma família, com valor máximo de R$ 700, para famílias com seis membros.

A Arariboia é a moeda alternativa para realização de transações econômicas sem utilização ou conversão por dinheiro com o objetivo de fazer girar e desenvolver a economia local. As moedas sociais cumprem um papel fundamental no desenvolvimento das comunidades já que permite a criação de um mercado complementar e oferece a possibilidade de se produzir e consumir dentro de um bairro ou município.

Além das famílias, mais de 4.100 estabelecimentos estão cadastrados e já realizaram transações em Arariboia, movimentando as vendas e o comércio. Com a Moeda Social, ganha o usuário que tem uma renda para suas necessidades básicas, como alimentação e farmácia, e o comerciante que vê na moeda uma forma de ampliar sua receita.

To Top