Niterói prorroga pagamento do benefício para residentes em áreas de risco
Cidade

Niterói prorroga pagamento do benefício para residentes em áreas de risco

Moradores das comunidades de Jurujuba, Preventório, Boa Esperança e Aterrado São Lourenço receberão R$ 1.002 por mais um ano.

 A Prefeitura de Niterói prorrogou o pagamento dos benefícios assistenciais aos moradores residentes em áreas de risco das comunidades de Jurujuba, Preventório, Boa Esperança e Aterrado São Lourenço, por mais um ano. A Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária (SMASES) é a responsável pelo cadastro e acompanhamento dos 260 beneficiários do auxílio que recebem, mensalmente, pouco mais de R$ 1 mil.

O secretário de Assistência Social, Elton Teixeira, explica que a prorrogação faz parte de uma avaliação técnica para garantir que as famílias não retornem aos locais condenados pelas catástrofes ambientais.

“A continuidade desses benefícios eventuais é fundamental na garantia de uma vida digna às famílias que perderam suas casas por conta de desastres naturais. Com isso, a Prefeitura de Niterói demonstra, mais uma vez, que aqui ninguém fica pra trás”, reforça o secretário.

A prorrogação passou por aprovação na Câmara de Vereadores e foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (30). A SMASES paga o benefício aos moradores de áreas condenadas pela Secretaria de Defesa Civil e Geotecnia nos bairros de Jurujuba, Preventório e Boa Esperança desde 2018. Os beneficiários do Aterrado de São Lourenço recebem o pagamento mensal desde 2019.

Os moradores da Comunidade da Boa Esperança, em Piratininga, são vítimas de um deslizamento que ocorreu após intenso período de chuvas e que tiveram suas moradias qualificadas como situação de risco. No mesmo ano, as chuvas atingiram diversas casas que precisaram ser interditadas em Jurujuba e no Preventório, por deslizamentos ou áreas de possível deslizamento, que colocavam vidas em risco. Todas as famílias do Aterrado São Lourenço precisaram ser retiradas do local que foi demolido e, desde então, recebem o benefício assistencial.

Benefício

Para receber o auxílio, os beneficiários precisaram comprovar residência no local pelo período de mais de um ano, de forma a comprovar moradia durante o período em que ocorreram os desastres ambientais. Em setembro deste ano (2021), todos os beneficiários passaram por um recadastramento, de forma a verificar a situação das casas junto às Secretaria de Defesa Civil e Geotecnia e de Habitação e Regularização Fundiária, bem como a comprovação da parte documental. Esse mapeamento fez parte do processo que levou a Prefeitura de Niterói a tomar a decisão de renovar os benefícios.

To Top