Aloysio Reis lança primeiro livro de contos em Niterói

Aloysio Reis estreia na literatura com livro de contos que une tramas de mistério, fatos reais e o sobrenatural

“Rio Vermelho e outros relatos improváveis” será lançado hoje(29), na Livraria Blooks, em Niterói

Um autor maduro em seu livro de estreia, dono de um estilo vigoroso e faro apurado para as tramas de mistério. Esse é o jornalista Aloysio Reis, 64 anos, que lança “Rio Vermelho e outros relatos improváveis” (Editora Autografia, 240 páginas). A obra mistura passagens autobiográficas com histórias sobrenaturais. São cinco contos narrados bem ao estilo do autor: texto coeso, sem firulas nem excessos, que une o romance policial ao realismo fantástico. Aloysio, diretor geral da editora Sony/ATV, apresenta personagens reais e fictícios em histórias que prendem o leitor.

O contexto histórico está presente em cada página: desde a proclamação da República até os anos de chumbo, o leitor se depara de um lado com Dom Pedro II, Ernesto Geisel e coronéis implacáveis; de outro, encontra Jimi Hendrix, Beatles, Rolling Stones e Velvet Underground. As histórias se cruzam e denotam um raro senso de observação do autor. Algumas lembram roteiros de filme de terror.

O primeiro conto, “Rio Vermelho”, é ambientado entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais, nos meses seguintes à abolição da escravatura. Aloysio descreve a saga do coronel Custódio Sotero de Souza e Mello, fazendeiro que comanda seus “funcionários” a ferro e fogo. Dono de um latifúndio baseado nas culturas do café e do açúcar, ele encontra novas formas de escravizar seus subordinados. Por trás de seus métodos de dominação, está a misteriosa aliança com Itonde, uma milenar entidade espiritual que habita uma clareira perdida às margens do Rio Pomba.

“Se o senhor for ali na entrada da oca, vai ver que meu corpo morto e sem coração já foi colocado sobre a fogueira. Quando os guerreiros acenderem aqueles troncos e gravetos Itonde vai passar a viver no corpo humano do Padre Prisciliano. O senhor devorou meu coração e agora é inevitável que receba dentro do seu corpo o espírito de Itonde”, diz um trecho do conto.

No segundo conto, “Vale das Videiras”, o leitor segue as peripécias de Anselmo Malagui, modesto repórter policial que se revela um grande investigador. Dono de olheiras profundas e vasta cabeleira, ganha logo o apelido de “Cocheiro de Vampiro”, do qual nunca mais consegue se livrar. A trama remete à formação jornalística do próprio Aloysio, que iniciou a carreira aos 17 anos no jornal Última Hora como repórter de Cidade e Polícia. O estilo foi construído a partir da apuração de notícias em delegacias e nas cenas do crime.

O livro traz ainda a história trágica do “Chevrolet Azul”, contada por um pai e chefe de família durante viagem de carro a Petrópolis, a lisérgica “Purple Haze” (que mistura celebridades do mundo do rock) e, por fim, “O Testamento”, que descreve a altivez e a vileza da condição humana.

“Adoro misturar o real e o imaginário. O sobrenatural está presente em todos os momentos da minha vida. Há coisas em torno de nós que não conseguimos enxergar nem são facilmente explicáveis. Mas podemos sentir. Elas fazem parte das minhas histórias”, explica Aloysio, que também é autor de 130 músicas, gravadas por artistas como Roberto Carlos, Fafá de Belém, Ney Matogrosso, Flavio Venturini e Byafra, entre outros.

O prefácio é assinado pelo compositor Paulo Sérgio Valle (irmão de Marcos Valle): “Mergulhei fundo no Rio Vermelho e encontrei um verdadeiro escritor, dono de um estilo vigoroso e enxuto, capaz de contar uma história repleta de intrigantes mistérios. Uma história que há de prender o leitor até a última linha do conto”, define.

O lançamento do livro em Niterói será hoje(29), às 18:30h, na Livraria Blooks, no Reserva Cultural, em São Domingos. Como principal executivo da editora Sony, Aloysio gerencia um cast estelar de compositores, que reúne Roberto Carlos, Erasmo, Zé Ramalho, Marisa Monte, Adriana Calcanhotto, Ana Carolina, Skank, Jota Quest, Milton Nascimento, Mallu Magalhães, Moska, Mart’nália, Marcos Valle, Danilo e João Bosco.

Foto: Fábio Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline