“ELEPHANT PARADE RIO 2018”: uma das maiores exposições a céu aberto do mundo chega às ruas cariocas no dia 1º de novembro

O amanhecer de 1º de novembro promete surpreender e presentear os cariocas: é quando a manada da Elephant Parade estará nas ruas! São 66 esculturas no tamanho real de um elefante bebê espalhadas por cartões postais e endereços de grande visibilidade da cidade, transformando o ambiente urbano em uma enorme galeria de arte a céu aberto. Jardim Botânico, Copacabana, Ipanema, Centro, Barra da Tijuca, Lapa, Leblon, Urca e Lagoa “hospedam” as obras de Ziraldo, Susi Cantarino, Robnei Bonifácio, Luca Ewbank, Dominique Jardy, Beto Gatti, Levi Cintra, Sanagê, Babi Wrobel, Ana Luiza Tepedino, entre outros artistas, até 29 de novembro. Depois, os elefantes seguem para Hotel Belmond Copacabana Palace, onde as esculturas serão leiloadas no dia 6 de dezembro, em prol de entidades carentes do Rio de Janeiro, projetos de preservação dos elefantes e artistas participantes. O shopping oficial é o BarraShopping e os patrocinadores oficiais são Rei do Mate, Suvinil e Amarula. 

A edição carioca do evento chega com muitas novidades! As criações mais recentes assinadas pelo cartunista Ziraldo estão presentes em três esculturas que reproduziram o traço do mestre pelas mãos do artista Levi Cintra e patrocinados pelo Rei do Mate. Além disso, esta é a primeira vez que o evento conta com a participação de crianças, alunos do artista Robnei Bonifácio. Robinei dá aulas de desenho para crianças de baixa renda no projeto “Aula de Boa”, no bairro de Boa Esperança, em Nova Iguaçu. Eles ajudaram a idealizar e confeccionar o elefante batizado “De-Boa”, que teve patrocínio do Grupo Petra Gold.

 

Como surgiu a Elephant Parade

O evento foi criado em 2006, depois que Marc e Mike Spits, pai e filho em férias pela Tailândia, “conheceram” uma bebê elefanta chamada Mosha, que havia perdido sua perna depois de pisar numa mina terrestre. Desde então, decidiram realizar um evento rentável, a longo  prazo, para garantir um futuro sustentável à Mosha, que se tornou mascote do evento. A primeira exposição aconteceu em 2007, em Roterdã, na Holanda. Amigos do Asian Elephant Hospital, a “casa” da Mosha em Lampang, foi das primeiras organizações a receber contribuições geradas pelo evento e até hoje continua tendo suporte financeiro. Em sua 27ª edição, a EP já percorreu importantes centros urbanos, como Londres, Hong  Kong, Amsterdã, Milão e São Paulo. Em todos eles, ao final de cada exposição os elefantes são leiloados e parte da quantia arrecadada é destinada a projetos de preservação dos elefantes, a instituições locais e aos artistas participantes.

“A Elephant Parade é hoje a exposição de arte ao ar livre mais relevante e impactante no mundo – estima-se que 100 milhões de pessoas já visitaram as exposições da Elephant Parade. Cada evento movimenta boa parte da classe artística local, prestigiando desde artistas iniciantes a nomes reconhecidos internacionalmente, gerando uma troca cultural bastante enriquecedora e ajudando a despertar novos talentos”, afirma Giovane Pasa, sócio-diretor da Elephant Parade Brasil.

Desde o início, o público pôde conferir de perto o processo de pintura das obras em um ateliê aberto no BarraShopping, no mês de setembro. Em outubro foi a vez dos corredores do shopping receberem as esculturas, em uma exposição que foi vista por cerca de 100 mil pessoas, diariamente, segundo informações fornecidas. Até dezmebro, antes do leilão, o local também abriga uma pop up store de réplicas de elefantes que já foram expostos nas cidades brasileiras por onde já passou. As miniaturas também estão disponíveis na loja virtual:http://loja.elephantparade.com.br.

 

Conheça alguns elefantes expostos

“MORRO DE AMOR PELO RIO”

“MORRO DE AMOR PELO RIO”

Artista: Ziraldo

Local: Urca (Av. Pasteur, 520 – Bondinho) 

Uma das obras mais recentes de Ziraldo, o elefante “Amo de amor pelo Rio” é um dos três elefantes assinados pelo cartunista.

Patrocínio: Rei do Mate

“JORNAL KIMI”

“JORNAL KIMI”

Artista: Susi Sielski Cantarino

Local: Jardim Botânico (Rua Jardim Botânico esquina com Saturnino de Brito)

Patrocínio: BriefCom

Com recortes criteriosamente selecionados de jornais do mundo todo, a artista visual Susi Sielski Cantarino selecionou fotos e notícias em preto e branco para compor o elefante, misturando interferências de traços e símbolos que serão feitas nas mesmas cores dos recortes. O elefante foi finalizado com verniz incolor marítimo, podendo ficar ao relento. A ideia é remeter o projeto à memória – dos jornais e do elefante.

“DE-BOA”

“DE-BOA”

Artista: Robnei Bonifácio (convidados: Álef de Almeida, Fred Carvalho, Julie Brasil e Marcella Moraes)

Local: Centro (Praça Floriano – Cinelândia)

Patrocínio: Grupo Petra Gold

A concepção teve a participação de crianças e jovens de baixa renda do projeto “Aula de Boa”, que promove um encontro regular, desde 2016, ensinando desenho ao ar livre nas calçadas do bairro de Boa Esperança. A arte do elefante exibe as ruas que ficam entre Nova Iguaçu e Belford Roxo – já que o bairro dos alunos fica na divisa entre as cidades –  além de pinturas de cartazes coletados no subúrbio e Baixada pelo artista.

“SUKHI”

“SUKHI”

Artista: Babi Wrobel

Local: Copacabana (Av. Atlântica, 1702 – Próximo ao Belmond Copacabana Palace)

Patrocínio: Suvinil

Elefantes remetem à sorte e a boa fortuna. E quem não precisa de um pouco disso nos dias de hoje? A artista Babi Wrobel é frequentadora das aulas de yoga que tomaram conta da orla de Ipanema e usou como referência a cultura indiana para pintar um elefante em posição de lótus, saudando a paisagem do Rio. Sukhi, que em hindu significa “tranquilo”, será pintado com tinta acrílica e canetas poska.

“NOÉ”

“NOÉ”

Artista: Dominique Jardy

Local: Copacabana (Av. Atlântica, nº 1702 – Em frente ao Belmond Copacabana Palace) 

Patrocínio: Belmond Copacabana Palace

“TROPICÁLIA”

“TROPICÁLIA”

Artista: Ana Luiza Tepedino

Local: BarraShopping

Patrocínio: BarraShopping

“SOIS REI?”

“SOIS REI?”

Artista: Sanagê

Local: Leblon (Rua Ataulfo de Paiva esquina Rua Carlos Gois)

Patrocínio: Rei do Mate

Elephant Parade Brasil em números

A Elephant Parade destina parte de sua verba à preservação dos elefantes asiáticos, causas sociais locais e também remuneram o trabalho dos artistas participantes. 20% dos recursos arrecadados no leilão beneficente que encerra o evento serão destinados a instituições carentes da cidade indicadas pelos patrocinadores do evento. Com as exposições do Brasil (Florianópolis, São Paulo e Belo Horizonte) já foram arrecadados mais de 300 mil reais para a preservação dos elefantes e entidades carentes nacionais.

As esculturas de elefantes medem 1,46m de altura por 1,66m de comprimento por 0,75m de largura (em pé) e 1,44m de altura por 1,73m de comprimento por 1,04m (sentado).

 

Responsabilidade social

A causa original da Elephant Parade, que é a preservação dos elefantes recebe recursos de cada evento ao redor do mundo. Os elefantes estão ameaçados de extinção; seu habitat diminuiu cerca de 95% e sua população diminuiu em pelo menos 70% nos últimos 100 anos. Hoje, restam menos de 50.000 elefantes asiáticos distribuídos por 13 países na Ásia. O restante da população está diminuindo em mais de 3,5% ao ano. Se algo não for feito agora, os elefantes serão extintos em menos de 30 anos. É por isso que a Elephant Family (www.elephant-family.org) aumenta a consciência através do programa de educação para crianças e turistas conscientes da situação dos elefantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline