Niterói é a sexta melhor cidade do país para investir

Pesquisa publicada pela Revista Exame destaca potencial do município, que se destacou como primeiro lugar do Estado

Niterói é a sexta melhor cidade para investir, empreender e negociar no Brasil. A informação é da consultoria Urban Systems, que analisou o potencial de desenvolvimento econômico de 100 cidades acima de 100 mil habitantes, identificando aquelas com as melhores oportunidades para negócios. A pesquisa foi publicada na Revista Exame de 25 de outubro. O município, que saltou do 49º lugar no ranking de 2017, também alcançou a melhor colocação no Estado do Rio de Janeiro.

A cidade está acompanhada de Vitória (1º), São Caetano do Sul (2º), São Paulo (3º), Porto Alegre (4º), Barueri (5º). Na sequência, aparecem Curitiba, Belo Horizonte, Maringá e Santos.

A revista cita que Niterói é um exemplo de melhora significativa, mesmo em um cenário de crise: “com as finanças do estado do Rio de Janeiro em frangalhos, é de surpreender que Niterói tenha encontrado espaço para um salto impressionante” e que “a evolução econômica do município (…) está ligada ao nível de tecnologia adotada na gestão. Em 2012, a cidade tinha 46 sistemas de protocolos – 11 eram de pagamento e dez de contabilidade. A solução foi integrar e concentrar as informações em uma única plataforma. Diariamente, o prefeito consulta um painel da situação da arrecadação e das contas municipais. Desde 2017, Niterói tem um novo sistema de nota fiscal eletrônica e de pregão eletrônico”.

A revista ouviu empresários que estão obtendo sucesso na cidade. No setor cervejeiro, a empresária Barbara Buzin, diretora da cervejaria Noi, contou que desde a inauguração da fábrica, em 2011, a rede não para de crescer.

Já o criador da rede Alô Madruga, Leon Schaefer, contou que a loja de conveniência, que inaugurou há menos de dois meses em Niterói, superou em faturamento as unidades da rede no Rio de Janeiro. Tanto que a empresa já procura imóveis para expandir na cidade. Ele também destacou a facilidade do processo de abrir a loja em Niterói na comparação com a capital Rio de Janeiro.

“A Prefeitura está trabalhando para estimular a geração de empregos na cidade. Criamos o Alvará Fácil, um sistema integrado com o Regin, Jucerja e o Sebrae que permite que, em 48 horas, o empreendedor esteja legalizado e possa, inclusive, emitir nota fiscal, a Casa do Empreendedor, que possibilitou o início de vários pequenos e médios negócios em Niterói, a regulamentação da Lei dos Cervejeiros e a criação do Polo Cervejeiro, que incentiva a fabricação artesanal no município e está atraindo produtores de todo o Estado, além da lei de incentivo à hotelaria e o apoio ao setor privado em várias frentes com desenvolvimento dos polos gastronômicos”, ressalta o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Luiz Paulino Moreira Leite.

Ele cita, ainda, a criação de parcerias público privadas, como a do Mercado Municipal Feliciano Sodré, que estimula a geração de empregos, a Lei do Audiovisual, que pretende transformar a cidade em referência do setor, e o terminal pesqueiro, que está sendo elaborado pelo Município e será o mais moderno do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline