Niterói fechará acordo com Cuba para aprimorar Defesa Civil

Prefeitura também inicia parceria visando a criação de escola municipal de ballet

A Prefeitura de Niterói fechará acordo de cooperação com Cuba para aprimorar o sistema municipal de Defesa Civil. O prefeito Rodrigo Neves e o secretário de Defesa Civil, tenente-coronel Walace Medeiros, foram recebidos nesta quarta-feira (25) no Estado Maior de Defesa Civil de Cuba, em Havana, onde conheceram o sistema de prevenção de riscos do País, que tem uma das melhores experiências do mundo no setor devido à incidência de furacões e tempestades extratropicais. Também nesta quarta, Rodrigo Neves visitou a sede do Ballet Nacional de Cuba para dar início a uma parceria visando a implantação de uma escola municipal de ballet.

Em Havana, o prefeito também se encontrou com o embaixador do Brasil em Cuba, Antônio Alves Jr, e foi recebido pela diretora para assuntos da América Latina e Caribe do Ministério da Cultura de Cuba, Sádia Acosta. Rodrigo Neves e a secretária municipal de Planejamento, Modernização da Gestão e Controle, Giovanna Victer, tiveram reuniões no Ministério do Planejamento, onde foram recebidos pelo diretor Lázaro Ayala, e no Ministério das Finanças e Preços, com a diretora de Política e Controle, Solange Perez.

O acordo de cooperação com a Defesa Civil de Cuba terá como objetivos principais aprimorar a capacitação dos agentes de Niterói, fortalecer o sistema de monitoramento e alertas antecipados, além de aperfeiçoar o sistema municipal de redução de riscos de desastres.

“Desde 1991, Niterói mantém acordos de cooperação com Cuba, especialmente no setor de saúde. Estamos aqui para reafirmar e ampliar essa parceria, com acordos também em outras áreas. Nos últimos cinco anos, a Prefeitura de Niterói teve como uma de suas prioridades a realização de obras de contenção de encostas, além dos investimentos no sistema de Defesa Civil. Estas ações evitaram a perda de vidas e tragédias, mesmo com chuvas intensas. Este acordo será importante para melhor qualificação do nosso sistema, levando em conta, inclusive, o fenômeno das mudanças climáticas, que atingirá especialmente as cidades litorâneas”, ressaltou o prefeito Rodrigo Neves.


O coronel Luis Angel Macareño Véliz, do Estado Maior da Defesa Civil de Cuba, e a tenente-coronel Glória Martinez apresentaram a metodologia adotada na prevenção de tragédias no País e ressaltaram o foco no desenvolvimento seguro e sustentável.

“Fico muito feliz em ver o interesse de Niterói em nossos procedimentos e, acima de tudo, em salvar vidas. Tenho certeza de que este acordo de cooperação será muito positivo”, disse o coronel Macareño.

O tenente-coronel Walace Medeiros fez questão de lembrar o histórico de sucesso da Defesa Civil cubana nas últimas décadas. “Eles alcançaram resultados muito expressivos frente à sua maior ameaça de origem natural, que são os furacões, que atingem frequentemente o País. O alinhamento entre o sistema de monitoramento meteorológico, a emissão de alertas e a participação efetiva da comunidade nos processos de mobilização têm sido a chave do sucesso nas ações da Defesa Civil de Cuba. Este termo de cooperação possibilitará um avanço significativo nas estratégias utilizadas pelo município com melhorias contínuas e manutenção do nível de segurança e resiliência com foco nos cidadãos”, ressaltou.

Ballet – Na sede do Ballet Nacional de Cuba, o prefeito de Niterói deu início a uma parceria para a implantação de uma escola municipal de ballet para crianças e adolescentes das escolas públicas de Niterói.

“Em 2013, retomamos a Companhia de Ballet de Niterói e viabilizamos sua primeira sede. Nestes últimos anos, a companhia ficou ainda mais qualificada, com apresentações e espetáculos belíssimos em Niterói e representando nossa cidade em outros municípios do Brasil e no exterior. Agora, com este acordo de cooperação, vamos avançar mais. Alunos da rede municipal de Educação terão oportunidade de iniciação nesta arte com a metodologia de ensino do Ballet Nacional de Cuba, uma referência internacional, criada pela primeira bailarina absoluta (honraria máxima no ballet) de Cuba, Alicia Alonso”, disse o prefeito lembrando que a Companhia de Ballet de Niterói foi criada em 1991, durante o Encontro Niterói com Cuba, que contou com apresentação do Ballet Nacional de Cuba.

O prefeito Rodrigo Neves e o presidente da Fundação de Artes de Niterói foram recebidos pela diretora de Dança, Miriam Vila, e pela diretora de Relações Internacionais do BNC, Cyndi Chang. “Estive em Niterói em 1991 para o Encontro com Cuba e estou emocionada com esta reaproximação. Teremos muita satisfação em fechar mais um acordo de cooperação com esta cidade que tem uma história importante com nossa companhia, principalmente sabendo que vamos beneficiar crianças e jovens das escolas municipais”, disse Miriam Vila.

Para o presidente da Fundação de Artes de Niterói, este acordo será mais um marco na relação cultural da cidade com Cuba. “A Companhia de Ballet de Niterói, que hoje é uma referência para todo o País, é fruto desta integração da cidade com a cultura cubana. Agora, teremos a primeira escola pública de ballet do País com a metodologia utilizada deste País, reconhecido como uma das principais potências mundiais de dança. Trata-se de uma conquista extraordinária não apenas para as crianças e adolescentes que terão acesso às aulas, mas para toda a cidade”, disse André Diniz.

O prefeito Rodrigo Neves está em Havana participando da convenção Cuba Sallud 2018, que reúne em Havana autoridades e profissionais de Saúde de 65 países. Na próxima sexta-feira, ele e a secretária municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos apresentarão um painel sobre os 25 anos do Programa Médico de Família em Niterói, inspirado no modelo cubano.

Sobre o BNC – Máxima expressão da escola cubana de ballet, o BNC figura hoje entre as maiores companhias de ballet clássico do mundo. O grupo alcançou prestígio internacional, tanto por suas cuidadosas versões dos grandes clássicos como por seu variado repertório, sempre permeado pela qualidade técnica de seus dançarinos.

O BNC foi criado em 1948, pela primeira bailarina absoluta (honraria máxima no ballet) de Cuba, Alicia Alonso, que hoje, aos 97 anos e com problemas de visão, continua à frente da companhia. Na mesma época, ela também fundou a Escola Nacional de Ballet, inicialmente como centros privados, de cultura e arte. Após a revolução socialista de 1959, ambos foram estatizados recebendo total apoio do governo e abrindo suas portas para os grandes talentos que surgiriam na Ilha.

O rigor artístico e técnico de seus bailarinos e a concepção estética de seus coreógrafos permitem ao BNC ocupar um lugar de destaque entre as grandes instituições do gênero no cenário internacional. Anualmente, o BNC monta e apresenta os principais ballets de repertório, sempre a preços populares, para os habitantes de Havana. Ao mesmo tempo, a companhia não deixa de prestigiar as obras de autores cubanos.

 
Fotos: Divulgação   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline