Tamanduá-mirim resgatado em condomínio da Região Oceânica é reintegrado a natureza 

O animal que foi resgatado em um condomínio da Região Oceânica pela Guarda Ambiental de Niterói foi reintegrado a natureza após tratamento

O tamanduá-mirim resgatado há 10 dias em Itaipu, pela Coordenadoria Ambiental da Guarda Municipal de Niterói, foi reintegrado hoje (03.04) à natureza. O animal foi encontrado por moradores do Condomínio Ubá VI e levado para o Centro de Reabilitação de Animais (CRAS), na Universidade Estácio de Sá, em Vargem Pequena, por onde passou por uma bateria de exames, recebeu medicamentos e alimentos.

Após receber alta da equipe de veterinários do CRAS, o mamífero, uma fêmea de cerca de três meses, foi entregue novamente para a Guarda Ambiental de Niterói que, nesta tarde, o levou para o Parque Estadual da Serra da Tiririca (Peset), no Engenho do Mato.

Ao encontrarem o filhote, os moradores acionaram de imediato o número 153, que atende no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp). Ele estava bem debilitado quando os guardas deram os primeiros socorros e o encaminharam para tratamento.

Ao ser solto, o filhote mostrou que o tratamento funcionou e que está pronto para se virar sozinho em meio à mata, indo direto vasculhar troncos e tocas, em busca do alimento predileto: formigas.

Divulgação

O coordenador da Guarda Ambiental de Niterói, o subinspetor Edson Jorge Martins reforçou que os moradores do condomínio tomaram todas as precauções necessárias neste tipo de situação: não tocaram no animal e aguardaram o resgate.

“Essa espécie, embora tenha uma aparência dócil, possui garras afiadas e fortes que podem ser utilizadas para sua defesa. Não devem ser subestimados. O manejo por pessoas inexperientes pode ser perigoso. No caso de se deparar com qualquer animal silvestre faça contato com a Coordenadoria de Meio Ambiente através do 153”, orientou o subinspetor Edson Jorge.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline