Muay Thai para crianças

Cada vez mais popular no Brasil, o Muay Thai caiu nas graças das pessoas que querem modelar o corpo e exercitar força, foco e atenção. Conhecida como “a luta das oito armas” (punhos, cotovelos, joelhos e canelas), a modalidade mexe com o corpo inteiro e trabalha o equilíbrio e o autoconhecimento. Mas engana-se quem pensa que apenas mulheres e homens adultos procuram essas aulas dentro das academias. Outro público bastante especifico também está se tornando assíduo da luta: as crianças.

O Muay Thai pode ser extremamente benéfico para os pequenos. Assim como qualquer arte marcial, dá forte noção de disciplina e respeito, aspectos  muito importantes para a formação moral e social de qualquer pessoa. Além disso, a modalidade exige muito do auto controle, equilíbrio, condicionamento cardio respiratório e força muscular do praticante. “Todos esses benefícios são incansavelmente praticados em cada treino”, explica Léo Saturnino, professor de Muay Thai da Tio Sam Camboinhas, que também começou cedo nessa modalidade, aos 14 anos. “No início, eu só buscava uma atividade dinâmica que me trouxesse uma boa noção de defesa pessoal, mas com pouco tempo de treino já fui descobrindo outros benefícios que fizeram eu me apaixonar pelo Muay Thai”, complementa.

Na Tio Sam, as aulas não tem restrição sobre a idade para começar – há, inclusive, um aluno com 4 anos -, nem são divididas entre meninas e meninos. Qualquer criança com um mínimo de coordenação motora pode se aventurar em uma aula experimental para tentar se adaptar. Mas é importante observar que essa coordenação aparece em diferentes idades para cada um e o do professor é exatamente identificar se aquele aluno apresenta o mínimo necessário para encarar as aulas de forma produtiva ou se talvez seja recomendável aguardar um pouco mais, até que a criança possa realente entender os princípios de uma arte marcial. “Como nossa turma de crianças é relativamente antiga, nós já contamos com alguns alunos consideravelmente graduados em sala. Nesse último exame de graduação, por exemplo, nós formamos mais dois atletas mirins no grau Azul Claro ponta Azul escura (a um grau de se tornarem instrutores)”, pontua o professor.

Um dos destaques da academia é o aluno Guilherme de Moraes. Praticante de Muay Thai desde os 9 anos  – atualmente tem 14 -, é um dos instrutores mais novos de todo o Brasil na Confederação, e só não se tornou grau preto (professor) porque a Confederação não permite que alunos com menos de 18 anos atinjam essa graduação. Além de ser tão capacitado, mesmo com tão pouca idade, Guilherme tem uma historia interessante dentro da luta. No início, ele era um aluno relativamente desajeitado e consideravelmente desatento.

Mas com o tempo e determinação nos treinos, foi se superando e foi, por duas vezes, o “aluno revelação do ano”, um prêmio entregue pela equipe da Tio Sam para o aluno que se destacou no ano pelo seu comprometimento nos treinos consigo e com seus companheiros. Recentemente, no último Campeonato Interestadual de Muay Thai e Kickboxing, Guilherme se sagrou campeão na modalidade Light Contact, uma modalidade onde os pequenos lutam devidamente protegidos com capacetes e protetores de tórax, além das luvas e caneleiras de praxe, e onde o contato (força) é controlado e os critérios de avaliação da luta são baseados em técnica e variedade de golpes.

Outra informação bastante interessante, principalmente por essa possibilidade de alunos de diversas idades poderem praticar, é que os treinos devem sempre ser adaptados às particularidades, dificuldades e capacidades de cada aluno. Ou seja, se um aluno tem um pouco mais de preparo físico, talvez até por praticar alguma outra atividade, pode já iniciar nos treinos com alguns exercícios um pouco mais complexos. Já os que são completos novatos em exercícios, devem se aventurar com exercícios mais simples no início, para que o corpo possa ir até onde sua capacidade muscular permitir e não exagere.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *