SAÚDE: Getulinho, emergência completa 4 anos de sua reabertura

anuncie

anuncie

SAÚDE – Mais de 500 mil procedimentos em quatro anos da reabertura da emergência. Os números mostram por si só o sucesso do Hospital Getúlio Vargas Filho, o Getulinho, no Fonseca, Zona Norte da cidade. O prefeito Rodrigo Neves participou da comemoração na manhã de hoje (17/1), visitou as instalações da unidade e conversou com mães e pacientes.

“Em 2013, nosso primeiro ato de governo foi reabrir a emergência do Getulinho, justamente porque sabemos da importância desse serviço. Nenhuma criança deixou de ser atendida por falta de emergência em Niterói.  Fico muito orgulhoso de estar aqui, junto com os profissionais da Saúde, comemorando quatro anos da reabertura da emergência, que está funcionando de maneira ininterrupta e que já realizou mais de 500 mil procedimentos”, comemora Rodrigo.
20170117105432_IMG_9952
De acordo com um levantamento do hospital, são realizados, em média, 220 atendimentos por dia. Cerca de 65% dos pacientes são de Niterói; 30%, de São Gonçalo; e o restante, de várias regiões do estado.

“Esse hospital traz tranquilidade para as famílias, que sabem que têm uma referência para internação e serviços de maior complexidade. O prefeito teve uma sensibilidade muito grande ao realizar a reabertura da emergência e ao investir na construção de uma nova unidade, assim como os secretários que me precederam. É uma alegria muito grande estar aqui hoje”, conta, emocionada, a secretária municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos.

A emergência do Getulinho foi fechada em 2011 e reaberta em janeiro de 2013, logo assim que a nova gestão assumiu a Prefeitura de Niterói. Em um primeiro momento, a assistência médica aconteceu em um hospital de campanha. Depois, o atendimento passou para a emergência provisória, que realizou todos os serviços de urgência e emergência durante a construção da nova unidade. Em 1º de julho de 2016, a nova emergência começou a atender pacientes.

A emergência possui duas salas de espera, sendo uma para recepção e outra para espera do atendimento médico, dois consultórios para classificação de risco, quatro consultórios médicos, sala de atendimento com 12 leitos, divididos de acordo com a classificação de risco amarela, vermelha e observação individual (isolamento), sala de medicação e inalação, sala de sutura, sala de curativo, sala de raios X, sala de estar para acompanhantes, sala de atendimento familiar, além de duas salas de apoio técnico e administrativo e duas salas de repouso para plantonistas.

Cuidando de gerações – Daniele Muniz estava acompanhando o sobrinho Wagner, de 1 ano e 7 meses, no atendimento médico. Moradora de Niterói, ela conta que frequenta o Getulinho desde criança e que ficou muito impressionada com as mudanças no local.

“Quando a emergência foi reaberta, foi uma bênção. E agora, depois da obra, o hospital está lindo e o atendimento é muito bom. Quando eu era criança, era sempre tratada aqui e pude acompanhar as mudanças. Ficou uma maravilha!”, elogia Daniele.

Fotos: Luciana Carneiro

anuncie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *