SAÚDE: Combate ao Aedes chega ao Morro do Bumba em mutirão

anuncie

anuncie

SAÚDE – Em continuidade à sequência de ações de combate ao mosquito Aedes aegypti em Niterói, a equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Fundação Municipal de Saúde realizou neste sábado (14/01) um mutirão no Morro do Bumba e arredores. Mais de 20 agentes da CCZ se dividiram em grupos, que vistoriaram a área do parque e as cerca de 250 casas da região, além de distribuírem material informativo.

bumba01
Durante as visitas, foram eliminados os focos que se acumulavam em baldes e recipientes e aplicado larvicida quando necessário. O raticida, para o controle dos ratos, também foi utilizado nas áreas com maior concentração de lixo. A ação contou com a parceria da Companhia de Limpeza de Niterói (CLIN) na limpeza da área.
Segundo o CCZ, o índice de criadouros de mosquito na cidade está controlado e dentro do padrão instituído pelo Ministério da Saúde. No entanto, com as recentes chuvas, a atenção tem que ser redobrada, porque esses índices costumam subir. O ciclo do mosquito tem sete dias, por isso a importância deste trabalho, pouco tempo depois das últimas chuvas.
Além da atenção com as chuvas, o cuidado deve ser redobrado nas caixas d’água. É essencial que ela tampada ou com mosquiteira. Ao identificar larvas do mosquito, a equipe aplica o larvicida e recomenda a limpeza do fundo com vassoura, para eliminação de possíveis
ovos do mosquito grudados na parede.
bumba03
O coordenador do mutirão, Luiz Claudio Ribeiro, do CCZ, afirmou que ações como essas são fundamentais para a diminuição da incidência do mosquito. “Os moradores conhecem a necessidade de prevenção, mas acabam se descuidando. Por isso, esse trabalho de casa em casa tem que ser feito. O morador até espera por nossas visitas para comunicar onde acha que pode estar acumulando focos de mosquito”, explicou.
De acordo com ele, a análise da vigilância indica que cerca de 70% dos criadouros estão dentro das casas: “O mosquito já se habituou à rotina dos moradores e adquiriu características mais residenciais”, afirmou.
Os habitantes do Bumba não costumam oferecer resistência no acesso dos agentes, porque já se acostumaram com as visitas periódicas de 2 em 2 meses. A moradora Luise Monteiro elogia a ação: “Acho ótimo, vemos que estão trabalhando e ajudando a população”, disse.
Em sua casa não foi encontrado nenhum criadouro de mosquito, motivo de congratulação pelos agentes que a vistoriaram. A piscina estava com cloro, potes estavam virados para baixo e a caixa d’água estava tampada com um toldo confeccionado pela própria família. “A gente faz nossa parte, mas se os vizinhos não fazem fica complicado. Aqui do lado tem um terreno abandonado que pode estar acumulando mosquito. Os vizinhos também tinham que cuidar, pois o mosquito que nasce lá também pica aqui”, alertou.
Os terrenos fechados e casas sem moradores, que impedem o acesso dos agentes, são registrados para futuras notificações aos proprietários.
Só no começo desse ano já foram realizados mutirões no Viradouro, Morro da União, Martins Torres, Vital Brazil, São Lourenço, Engenho do Mato e Serra Grande. No próximo sábado, dia 21, está programada vistoria no Morro do Boa Vista e, no dia 28, no Vital Brazil. Durante os dias de semana também haverá. Além desses mutirões, com maior número de agentes, são realizadas constantes visitas individuais pelo CCZ por todo município.
anuncie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *