CURIOSIDADES: Vale a pena pagar apenas o saldo mínimo da fatura do cartão?

anuncie

anuncie

CURIOSIDADES – Você recebe a fatura do cartão e vê, em destaque, o valor do pagamento total e o valor do pagamento mínimo. Aí vem aquela tentação de escolher a segunda opção, afinal, ela é bem mais em conta!

Sempre que estiver nesse impasse, é importante lembrar que ao pagar a parcela mínima você estará utilizando automaticamente um dos empréstimos mais caros do mercado: o crédito rotativo.

Mas será que vale a pena usar esse recurso? Veja o exemplo do Henrique, um comerciante que acumulou R$ 1.200 em gastos no cartão de crédito. Vamos fazer de conta que, na data do vencimento, ele decida pagar o valor mínimo da fatura.

  • Data de vencimento da fatura: 25 de agosto de 2016
  • Total da fatura: R$ 1.200,00
  • Pagamento mínimo: R$ 270,00

Na fatura, Henrique é informado que, se pagar a parcela mínima até a data de vencimento, poderá pagar o restante depois, a uma taxa de 15,64% de juros ao mês, ou 472,46% ao ano. A administradora do cartão também informa que, na próxima fatura, será incluído um valor de R$ 145,33 de multa sobre o que ele ficou devendo (saldo da fatura de agosto menos o pagamento mínimo).

Resumindo:

Fatura em 25 de agosto Pagamento mínimo Saldo devedor de agosto Multas e encargos Saldo para setembro
R$ 1.200,00 R$ 270,00 R$ 930,00 R$ 145,53 R$ 1.075,53

 

Henrique então decide não fazer mais nenhuma compra nesse cartão e entra em contato com a operadora para pedir que o saldo de R$ 1.075,53 seja dividido, afinal ele não irá conseguir pagar tudo de uma vez. São oferecidas a ele quatro opções de pagamento: 3, 6, 8 ou 12 parcelas fixas.

Mas, será que o Henrique notou que a dívida pode dobrar de tamanho? Olha só o que acontece:

Número de parcelas Taxa de juros/mês Valor das parcelas mensais Total a ser pago Valor dos juros a serem pagos
3 15,64% R$ 476,06 R$ 1.428,20 R$ 352,66
6 15,64% R$ 289,11 R$ 1.734,66 R$ 659,13
8 15,64% R$ 244,74 R$ 1.957,97 R$ 882,44
12 15,64% R$ 203,86 R$ 2.446,33 R$1.370,80

 

Se o Henrique optar por parcelar em 6 vezes, ele vai gastar:

R$ 270,00 (pagamento mínimo) + 6 parcelas de R$ 289,11 = R$ 2.004,66

Isso parar quitar uma fatura que, inicialmente, tinha um valor de R$ 1.200,00!

Olhando as contas de perto, dá para notar que uma dívida no cartão pode se transformar rapidamente em uma bola de neve. Para evitar isso, uma alternativa é buscar linhas de créditos mais baratas para quitar a fatura antes do vencimento.

Só como exemplo, vamos supor que o Henrique escolhesse uma linha de crédito pessoal, ao invés de refinanciar diretamente com a operadora de cartão de crédito:

Dívida no cartão de crédito Número de parcelas Média de juros/mês no crédito pessoal Valor das parcelas mensais Total pago Valor dos juros pagos no crédito pessoal
R$ 1.200,00 6 5% R$ 236,42 R$ 1. 418,52 R$ 218,53

 

Ou seja, ele faria uma economia de R$ 586,14!

Por isso, fique ligado. Para compras não planejadas acima de R$ 150,00, não compre na hora. Vá para casa e, se no dia seguinte desistir da compra, significa que ela não era tão importante assim. Um estudo feito pelo neurocientista norte-americano Paulo Zak mostrou que uma noite de sono anulou a compra por impulso de 14% das pessoas pesquisadas.

SERASA CONSUMIDOR

anuncie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *