EDUCAÇÃO: “Cieps, Brizola tinha razão” por Bernardo Ariston

280-54_291x218EDUCAÇÃO – Brizola tinha razão, se os Cieps tivessem funcionado como nosso saudoso antropólogo Darcy Ribeiro idealizou, certamente hoje teríamos uma geração de 500.000 (quinhentos mil) alunos, hoje já na faixa dos vinte poucos anos, em outra situação social. Infelizmente o programa dos Cieps, que contemplava seus alunos em tempo integral, com alimentação, atividades esportivas, aulas de apoio, atendimento psicológico, médico e dentário não teve continuidade nos governos seguintes aos de Brizola. O “Caudilho” estava a frente do seu tempo, possibilitou o início da formação de toda uma geração, o que certamente seria um belo início para a formação das gerações que viessem posteriormente. Hoje os Cieps estão subaproveitados, muitos foram municipalizados e outros viraram escolas normais, poucos são aqueles que funcionam satisfatoriamente.

Darcy-Ribeiro
Durante o primeiro governo de Leonel Brizola no Rio de Janeiro (1983-1987), Darcy Ribeiro, como vice-governador, criou, planejou e dirigiu a implantação dos Centros Integrados de Ensino Público (CIEP), um projeto pedagógico visionário e revolucionário no Brasil de assistência em tempo integral a crianças, incluindo atividades recreativas e culturais para além do ensino formal.

A geração que estudou nos Cieps poderia ter tido uma formação muito melhor, como isso foi inviabilizado me pergunto o que foi feito dessa geração? Quantos estão empregados? Quantos venceram na vida? Quantos foram para a marginalidade? Quantos poderiam ter uma vida melhor e não tem? Quantos abandonaram os estudos? Reputo o projeto dos Cieps como revolucionário, tenho certeza que se aplicado como política pública de educação poderia mudar o rumo do Brasil. Só a educação pode transformar nossa sociedade em uma sociedade melhor, desenvolvida e sobretudo mais justa. Assim, reafirmo: Brizola tinha razão.

BERNARDO ARISTON

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *