Niterói segue em alerta contra crimes virtuais  - Niterói
Direito

Niterói segue em alerta contra crimes virtuais 

Essa semana a Polícia Civil de Niterói prendeu duas pessoas acusadas de aplicar golpes de empréstimo consignado. Ontem veio novo alerta sobre a utilização de PIX por fraudadores, utilizando código QR falso.

Não bastavam as inseguranças da população com empresas físicas que atuavam de forma fraudulenta, agora o alerta se estende para os crimes cibernéticos, que aumentaram significativamente em 2020. Reflexo disso, talvez o fato de quase ninguém poder sair de casa durante a quarentena e a comodidade oferecida pela internet para a realização de compras e transferências bancárias, além de mais usuários tentando se adequar aos meios digitais.

Os golpes virtuais dispararam e têm feito muitas vítimas. Criminosos podem utilizar mecanismos muito convincentes a atrativos, como nos casos dos crimes de “phishing” e “pharming”.

O “Phishing” induz pessoas a compartilharem dados pessoais. A vítima recebe uma mensagem ou e-mail cujo objetivo é pegar suas informações, como nome, CPF e senhas. Já o “pharming” é quando a vítima clica em um site espelho, muito similar ao original e que de fato parece ser legítimo, mas na verdade não é, e seus dados são vazados.

Por estarem cada vez mais ordinários no meio virtual, separei algumas dicas de segurança na internet:

1. Desconfie de sites desconhecidos, com baixa reputação e descontos acima do normal 

Muitas pessoas costumam cair nesse tipo de golpe, principalmente em épocas de grandes promoções, como na semana da “Black Friday”. O comprador paga por um produto que está com o preço muito abaixo do mercado e não recebe. Na dúvida, antes de comprar, busque em sites a evolução dos preços do produto e a reputação da empresa, como no Reclame Aqui.

Site confiáveis começam com “HTTPS” e têm o ícone de um cadeado fechado ao lado. Se você clicar aparecerá a mensagem “a conexão é segura”.

2. Verifique o remetente da mensagem 

Achou suspeito o e-mail ou o número de telefone? Entre em contato com a empresa, através de um canal confiável. Empresas também respondem os usuários por redes sociais e muitas possuem selo azul de verificação, garantindo a sua autenticidade. Analise também o teor da mensagem, por vezes essas tentativas de fraudes via correio eletrônico contêm erros gramaticais.

3. Repare bem nas informações dos boletos 

Para não cair no golpe do boleto falso, leia bem todas as informações, como os dados do beneficiário, seu nome, número de contrato e os três primeiros números do código de barras (que correspondem ao número do banco).

Analise com atenção o código de barras. Muitas vezes os dados são exatamente como os de um boleto verdadeiro e o golpe está neste código. Desconfie se as barras estiverem espaçadas demais ou falhadas e o leitor não funcionar bem. Esse pode ser um indício de fraude.

4. Faça compras usando cartão virtual  

O cartão virtual é gerado para transações feitas pela internet. Alguns bancos possuem essa modalidade e podem ser temporários e descartáveis, a depender da instituição financeira. Utilizando o cartão virtual, outro número é gerado, trazendo segurança ao cliente, já que os dados do cartão físico ficarão protegidos.

5. Não realize transferência solicitada por número de WhatsApp estranho 

Outro golpe muito comum é o do WhatsApp. Um estranho pega a foto de um terceiro e se passa por ele, com número diverso. Entra em contato com conhecidos e familiares e pede transferência bancária. Na dúvida peça uma mensagem de áudio para tentar reconhecer a voz, faça uma chamada de vídeo ou ligue para o número estranho, que não irá atender e provavelmente bloqueará o seu contato. Informe ao seu conhecido que alguém está se passando por ele. E, o mais importante, não transfira valor algum! Recuperar esse dinheiro será muito difícil.

6. Evite abrir links de rementes desconhecidos 

Ao abrir um link enviado através de e-mail, SMS ou até mesmo WhatsApp seus dados podem ser copiados, como informações pessoais, senhas e o que for de interesse do criminoso. Não abra, aqui facilmente você pode ser uma vítima do crime de “phishing”.

No site da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro você pode encontrar outras dicas de segurança. Caso seja vítima de algum crime virtual, faça um registro de ocorrência. Realize um pré-registro, através do site da Polícia Civil, e depois compareça à delegacia para levar as provas do crime, como os comprovantes da transferência e “prints” de conversas.

Recentemente foi sancionada a lei 14.155 de 2021, que altera o Código Penal e torna mais rígidos os crimes de violação de dispositivo informático, furto e estelionato cometidos de forma eletrônica ou pela internet. Apesar de ser um ponto positivo, o rigor nas penas não inibirá ou reduzirá as condutas criminosas. Hoje em dia todo cuidado é pouco, sobretudo na nossa “era digital”, cuja tendência é aumentar, tanto os usuários quanto os golpes.

Bruna Cupolillo Vaz é Advogada e Delegada da Comissão OAB Jovem Niterói

To Top