Grupo que fraudava financiamento da Caixa é investigado pela PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira (17) a terceira fase da Operação Assucena, para combater uma organização criminosa responsável por desviar mais de R$ 6 milhões da Caixa Econômica Federal, em Roraima.

Segundo a PF, o grupo agia abrindo contas na Caixa e pleiteava empréstimos rurais, que seriam concedidos a empresas de fachada, como se fossem grandes empresas envolvidas no agronegócio.

“Na relação de laranjas constam parentes dos fraudadores, como pai, mãe, esposa, companheira, filhos e terceiros, que não tinham qualquer relação com produção agrícola ou propriedades rurais”.

De acordo com as investigações, o esquema criminoso funcionava com o auxílio de servidores da Caixa. “Com o apoio desses servidores, as concessões dos créditos rurais seriam feitas sem a fiscalização das terras e sem a verificação de cadastro dos interessados, o que permitiria, por exemplo, que um beneficiário do Bolsa Família recebesse R$ 200 mil em empréstimos”, diz a PF.

A 4ª Vara da Justiça Federal em Roraima expediu nove mandados de prisão temporária e 17 de busca e apreensão. Mais de 60 policiais federais cumprem as medidas judiciais em endereços ligados aos investigados nos estados do Ceará, Paraná e de Roraima.

O nome da operação, Assucena, tem relação com a identificação da primeira empresa investigada no esquema criminoso.

EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *