Reserva Cultural exibe a Mostra Flora Paradoxa

De 17 de outubro a 24 de novembro, das 12 às 22h, o Reserva Cultural exibe a Mostra Flora Paradoxa, exposição com curadoria de Ricardo Basbaum e realização de Clarice Rosadas, Filipe Britto e Pedro Pessanha, alunos e ex-alunos do Departamento de Arte da Universidade Federal Fluminense, em Niterói. Com entrada franca, a produção se destaca pela disponibilidade experimental e o desejo de trazer suas práticas para um registro de diálogo com o cenário da arte contemporânea.

Nesta exposição os artistas conduzem suas obras a partir de um olhar de longo alcance, cultivando a ambição e o desejo dos encontros fortes. Clarice Rosadas desloca desenho, pintura e escrita para um registro processual-performativo, enquanto Filipe Britto utiliza dispositivos técnicos como mediadores de ações videografadas a partir da vivência e experimentação de espaços e territórios. Pedro Pessanha por sua vez explora a superfície gráfica da letra, da palavra e do livro num domínio consciente dos recursos construtivos e de modulação das formas, também como imagem.

“Os lugares se refazem e os trabalhos expostos investem na construção do que está por vir. Flora paradoxa para nós é uma flor rara, de impulso colaborativo, estabelecendo-se como agente simpoético de produção coletiva. Esta exposição funciona de modo dinâmico e as obras presentes se referem umas às outras, em mútuo contato – do desenho-escritura ao objeto e à imagem, sempre em atravessamento. Entre as dimensões políticas da arte contemporânea está o agrupamento dos corpos, seu funcionamento conjunto, a partilha de esforços no redesenho de limites, na produção de coletivos desafiadores. Flora paradoxa multiplica perfumes, aguça, adoça, atrai e floresce, intermitentemente, conclui.”, comenta o curador Ricardo Basbaum.

A seguir um pouco da trajetória dos jovens artistas e do curador da mostra:

Clarice Rosadas (Rio de Janeiro, 1997). Artista visual, cursa Produção Cultural na UFF. É integrante do espaço independente Casa Voa (RJ), tanto como artista quanto como produtora. Participou de mostras e exposições coletivas nacionais, começou a desenvolver seu trabalho artístico com uma performance no MAC (2017) e a mais recente mostra aconteceu no espaço Oasis, no Rio de Janeiro, chamada “Nômada”, com curadoria de Sônia Salcedo Del Castillo. Sua pesquisa bota em questão a palavra, com desdobramentos na escuta e escrita como matriz, e seus trabalhos se desenvolvem em diversos suportes e materiais, com particular interesse em papel, objetos e telas.

Filipe Britto (Campinas) é graduado em Artes na UFF em Niterói, RJ. Trabalha com videoarte, fotografia e instalações. Tece uma linha de pesquisa prática no campo audiovisual em busca de fricções do tempo e do espaço na imagem cinematográfica aliando-se a microcomputadores dotados de certa autonomia.

Pedro Pessanha é artista e pesquisador carioca. Seus trabalhos questionam o encontro do sujeito com a palavra e seus efeitos, procurando estratégias que dilatem o tempo de leitura e façam com que o leitor possa se perceber lendo – e, ao construir sentido, construa a si mesmo. Em sua prática artística desenvolve trabalhos em diversos meios, como livros de artista, instalações e poemas-objeto. Graduado em Artes pela Universidade Federal Fluminense (2018).

Ricardo Basbaum (São Paulo, 1961) vive trabalha no Rio de Janeiro. Participa regularmente de exposições e projetos desde 1981. Realizou inúmeras exposições individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Seus projetos, frequentemente de longa duração, envolvem situações colaborativas e participativas, incluindo diversas linguagens. Professor do Departamento de Arte da UFF.

 

Serviço
Mostra Flora Paradoxa
De 17 de outubro a 24 de novembro
Todos os dias das 12h ás 22h
ENTRADA FRANCA

Reserva Cultural | NITERÓI
Endereço: Av. Visconde do Rio Branco, 880, Pq. São Domingos, Niterói
Telefone: (21) 3604 – 1545

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *